185
roteiros
124
cidades

Fíji para mochileiros ou viajantes econômicos

É até difícil imaginar, mas Fíji é um país que recebe MUITOS mochileiros e viajantes mais econômicos! Acho que o marketing dos grandes e...

Estados Unidos muito além de Miami, Disney e NY – Parte 01

Se você nos acompanha pelo Instagram, já deve saber que estamos passando 38 dias no oeste dos Estados Unidos, explorando Parques Nacionais e outros cantinhos naturais muito bem preservados pelos americanos. Estamos agora no Arizona!

Polinésia Francesa (Tahiti, Bora Bora e muito mais)

Taí um destino que faz parte da listinha de desejos de grande maioria dos viajantes. Muitos, ainda, sonham com Bora Bora ou alguma outra...

Sardenha: o paraíso!

A Sardenha é uma ilha – mais precisamente um verdadeiro paraíso – localizada no Mediterrâneo a oeste da Itália, país a qual pertence. Ela não...

Montanhas Rochosas

O VamosPraOnde partiu rumo às Montanhas Rochosas Canadenses para explorar cenários que fogem do comum. Queríamos ir além das dicas de revistas, além do turismo padrão, além da multidão. E conseguimos!

Chamonix

09 de Março de 2017
6 comentários 520 visualizações

Chamonix foi uma grata “semi” surpresa para a gente.

Não digo que foi uma surpresa completa porque essa foi minha terceira vez na cidade: fui com uma amiga no verão em 2015 e outra com meus pais no outono de 2016. No inverno, entretanto, essa foi a primeira, e por isso fui positivamente surpreendida.

 

Um inverno em Chamonix

 

A viagem dessa vez foi com um grupo de 10 pessoas, em março de 2017, pra praticar snowboard. A ideia  começou com uma semana no Club Med de Avoriaz – que resolvemos estender por mais quatro dias em Chamonix.

Chegando lá, acho que a surpresa bateu pra todo mundo: estávamos bem mais focados na primeira semana, o que viria depois seria um bônus (a gente sabia do charme e beleza da cidade mas não esperava nem 10% do que foi a experiência toda).

estação de ski em chamonix

Não sei se vocês sabem, mas Chamonix se encaixa naquilo que os gringos chamam de “Winter wonderland”, ou um paraíso para as atividades de inverno.

Chamonix, cujo nome oficial é Chamonix – Mont Blanc, está localizada justamente na base do Mont Blanc, com seus incríveis 4.808 metros de altitude. Além dele, há montanhas gigantes, como o Aiguille du Midi nos dois lados do vale. Nessas montanhas, há centenas e mais centenas de km de pistas de ski – que a gente não esperava.

 

Como chegar em Chamonix

O aeroporto mais próximo de Chamonix é em Genebra – cidade suíça a cerca de 1 hora e meia de distância. Existem vários transfers, ônibus e trens que fazem essa rota.

Nós usamos o transfer Cham-Van para a rota Chamonix-Genebra. O valor foi 35 euros por pessoa.

 

Passes para as estações de ski de Chamonix

Existem diversos tipos de passe para as estações de ski de Chamonix. O mais básico é o Chamonix Le Pass (aprox. € 50,50), que dá direito às áreas esquiáveis de Brevent – Flegere (mais próximas da cidade e interligadas por uma gôndola), Grands Montets e Balme. O único ponto negativo que podemos enumerar é que essas áreas não são interligadas entre si, mas conectadas por um sistema de ônibus – bem eficientes, diga-se de passagem (quem tiver um passe válido para as montanhas não precisa pagar por esse transporte).

Outro passe bem famoso é o Mont-Blanc Unlimited (aprox. € 62,00), que além das mencionadas acima, também dá direito às estações de Courmayer (do lado italiano do Mont Blanc, ou Monte Biancho, como eles chamam por lá), Verbier, na Suíça (distante 64 km) e Les Houches. Além dessas estações, esse passe inclui a gôndola de Aiguille du Midi, que garante uma vista 360° do topo de seus 3842m para os Alpes franceses, suíços e italianos.

Separadamente, o passe para o Aiguille du Midi custa  60 €.

Nós não fomos em nenhuma dessas estações extras do Mont-Blanc Unlimited, mas ouvimos que Courmayer, localizada a apenas 20 minutos de Chamonix (é necessário reservar o ônibus de ida e volta com antecedência) é maravilhosa, e um dos amigos que estava com a gente nos disse que Verbier é também é sensacional, mas não recomendável para iniciantes, já que é bem vertical, com inúmeras opções de off-piste.

 

Condições climáticas em Chamonix

Nos quatro dias que passamos em Chamonix, pegamos muuuita neve, o que foi bom e ruim ao mesmo tempo. Foi bom pois esquiamos numa neve powder sensacional. Mas porque seria ruim, então? Chamonix é famosa pelo vento e pelas baixas temperaturas, então pegamos dias com visibilidade muito ruim, vento muito forte e sensação térmica lá embaixo. Por falta de informação, acabamos indo para as áreas erradas (explico mais abaixo para que vocês não comentam nosso erro) em dois dos quatro dias.

Uma dica super importante: se for esquiar, se vista de forma apropriada para o frio das montanhas. Segunda pele, casaco intermediário e casaco de ski são essenciais, assim como uma boa pescoceira e meias e luvas (impermeáveis) quentinhas.

Subi um vídeo pro canal com dicas do que levar na mala para destinos mais frios:

 

Nossos 4 dias por lá

No primeiro dia me dei descanso do ski, depois de uma semana intensa em Avoriaz, para passear pela cidade – mas o Leo foi pra montanha. Junto com o irmão e mais um amigo, pegaram um ônibus e foram pra Grands Montets. Nessa área, pegando duas gôndolas, é possível fazer uma descida de 2.000 metros de altura. Porém, ao chegarem lá, a segunda gôndola fechou pelo mal tempo e a visibilidade deteriorou muito. Foi possível ver, porém, que ela é uma estação com pistas inclinadas, ótimas opções de fora de pista, duas pistas de boarder cross (uma fácil, que adoraram, e outra mais profissional, em que levaram vários capotes, rs) e um sistema de lifts bem eficiente (só nessa área, são 4 gôndolas fechadas).

No segundo dia, fomos todos para Brevent. Só havia a gôndola, um lift e um T-bar aberto, mas como a Babi, nossa amiga que está dando volta ao mundo, apareceu de surpresa para esquiar com a gente, resolvemos comprar o passe de quatro horas e encarar o mal tempo. Quase todas as pistas estavam fechadas devido ao risco de avalanche (risco 4 de 5), já que a neve e o vento eram intensos – mas conseguimos nos divertir na parte que estava aberta, com um powder sensacional. Brevent tem pistas boas para iniciantes e seções fora de pista com bowls e árvores cheios de powder para os mais atirados.

Ao devolver os skis da Babi na loja de aluguel, o vendedor nos perguntou como foi o dia e nós contamos que não tinha quase nada aberto (na verdade, chegou uma hora que o vento estava tão forte que fomos expulsos da montanha). Ele foi enfático ao dizer que a gente era maluco de ter ido para Brevent com aquela condição de tempo (e para Grands Montets no dia anterior). Quando venta muito e a visibilidade fecha, todo mundo em Chamonix vai para Les Houches, uma estação com 27 pistas, a 8km de distância. Como ela fica toda no meio das árvores, a floresta faz um “escudo” no vento e permite que os lifts funcionem normalmente.

les houches em Chamonix

Informação é tudo, e no dia seguinte pegamos o ônibus cedo em direção a estação vizinha. Nós saltamos na parada de Bellevue, onde pegamos a gôndola, mas também é possível saltar em Prarion. (Uma boa dica é acabar de esquiar em Prarion, já que lá é o ponto inicial do ônibus para voltar para Chamonix, então é mais fácil de conseguir pegar um lugar sentado – quando ele passa por Bellevue, em geral já está lotado).

 

Les Houches

Vamos falar sobre Les Houches, então. Como eu disse, nevou muuuuito enquanto estávamos em Chamonix, e, na noite anterior, caiu algo entre 40 e 50 cm de neve!!! O resultado foi uma montanha que parecia um heliski com lift. Durante a parte da manhã, com as pistas intocadas, foi possível descer com powder acima do joelho em quase todas as pistas. Não acreditávamos que aquilo seria possível na viagem, pois estava uma condição que só víamos em filmes do Japão e Alasca. Na parte da tarde, as marcas de ski e snowboard já tinham “castigado” a montanha, mas os sorrisos da melhor manhã de snowboard da vida demoraram bem mais pra desaparecer do que o powder que havia caído durante a noite. Les Houches, porém, não é recomendável para os muito iniciantes. Apesar de ter uma área dedicada a quem está aprendendo, apenas 2 pistas são verdes, mas quem já aprendeu o básico vai se divertir muito nas 8 pistas azuis, 13 vermelhas e 4 pretas.

estação de ski les houches em Chamonix

O passe independente para o dia em Les Houches custa 43 €.

 

Brevent-Flegere

No último dia, resolvemos voltar a Brevent. O risco de avalanche havia diminuído de 4 para 3 (numa escala que vai até 5), e eles abriram a conexão com Flegere. Foi mais um dia de powder intenso, com off pists absurdos.

Flegere é um paraíso para o snowboard. Seus lifts sobem bastante na montanha e dão acesso a uma quantidade interminável de opções de descida. Enquanto subíamos os teleféricos, mudávamos de opinião o tempo todo sobre a rota de descida, pois pra cada lado que olhávamos, havia uma linha melhor que a outra para descer. Quase todas elas por fora da pista.

O passe independente para o dia em Brevent-Flegere custa 50.50 €.

 

Aprés-ski em Chamonix

Além de pistas maravilhosas, Chamonix tem um apres-ski animadíssimo, talvez o mais legal que já vimos. Pertinho do nosso hotel (Mercure-Center) fica o bar Chambre Neuf (em frente à estação de trem). Durante a temporada de inverno, a banda sueca No Limits toca lá quase todos os dias de 18:00 às 20:00. Nós fomos lá três dias seguidos e eles não repetiram uma música sequer, indo de Bruno Mars a Metallica, passando por Bob Marley, Foo Fighters e Blink 182 com a mesma naturalidade. Chegue cedo pra pegar um lugar em cima da mesa (isso mesmo) e leve uma roupa fresca, pois o calor lá dentro é garantido!

Chambre Neuf em Chamonix

Além de infinitas opções para esportes de inverno, Chamonix ainda tem várias outras atrações e restaurantes – e é isso que o próximo post reserva pra você: Chamonix além das estações de ski.

Informações extras:

  • Seguro de Viagem é aquele item que a gente adoraria não precisar pagar mas não tem como: não dá pra viajar sem. Ficar doente ou sofrer um acidente fora do Brasil pode ser caríssimo – e infelizmente todos nós estamos sujeitos a esses contratempos. O ideal é encontrar aquele seguro que te atenda melhor. Por ex: se você está indo esquiar, é importante encontrar um seguro que ofereça cobertura para esportes radicais. Para viagens comuns, a gente normalmente procura o seguro com melhor preço – as coberturas tradicionais são bem semelhantes entre os seguros. Você pode fazer a sua cotação pela Real Seguros que possui várias seguradoras conveniadas. Através dela você compara o custo-benefício de mais de 10 seguradoras. A contratação é online e você recebe a apólice por email. É possível parcelar em 6x sem juros no cartão de crédito ou ter 5% de desconto para pagamento à vista. Clique para fazer a sua cotação.

linha pontilhada

Gostou desse post? Compartilhe com os amigos!
  1. Victor 17/03/2017

    Raquel, estou sentindo falta do post sobre o Club Med de Avoriaz aqui no blog.
    Acompanho diariamente seu instagram mas justo na semana que você estava em Avoriaz foi a semana que eu estava em Vail e Breckenridge e não consegui ver seus posts.
    Tenho muito interesse em Avoriaz, pois é um dos Club Meds que estão no topo da minha lista para visitar, mas ainda tenho dúvidas se vale mesmo a pena. Les portes du soleil nem precisa falar nada, é fantástico, mas tenho dúvidas sobre o Club Med.
    ABçs

    • Raquel Furtado respondeu Victor 18/03/2017

      Oi Victor! Eu achei o Club Med de Avoriaz inferior ao de Tignes, que conheci.
      Indico apenas pelo preço – foi bem em conta quando reservamos.

      Os quartos são super pequenos nas melhores tarifas (13m2 e 17m2), assim como o hotel – mas quando fomos, ele estava com ocupação máxima, o que pode ter contribuído um pouco pra essa sensação de “lugar pequeno pra gente demais”.

      Não o colocaria no topo da minha lista, infelizmente, apesar de gostar ato dos villages de montanha do Club Med no geral.

      Espero ter ajudado!

  2. Júlia Dias 10/03/2017

    Raquel,
    Você é um amor de pessoa!
    Amei o post e vou para Chamonix meados de abril. Você sabe se ainda é tão frio nessa época? Acredito que não tenha estação de ski aberta, ne?

    • Carol berb respondeu Júlia Dias 15/03/2017

      Oi Júlia! To me metendo aqui! Rsrsrs

      A data projetada pra fechar a estação é 01/05, então deve ter alguma coisa aberta em abril sim! Mas provavelmente não será tudo!

  3. Lígia Gomes 09/03/2017

    Quel, se tivéssemos apenas uma oportunidade de conhecer a suíça, qual das três épocas do ano (que você foi à cidade) vc recomendaria?

    • Raquel Furtado respondeu Lígia Gomes 09/03/2017

      Oi Lígia, elas são super diferentes entre si, mas gosto do verão pelo maior volume de atividades ;-)