185
roteiros
41
países
124
cidades

Fíji para mochileiros ou viajantes econômicos

É até difícil imaginar, mas Fíji é um país que recebe MUITOS mochileiros e viajantes mais econômicos! Acho que o marketing dos grandes e...

Estados Unidos muito além de Miami, Disney e NY – Parte 01

Se você nos acompanha pelo Instagram, já deve saber que estamos passando 38 dias no oeste dos Estados Unidos, explorando Parques Nacionais e outros cantinhos naturais muito bem preservados pelos americanos. Estamos agora no Arizona!

Polinésia Francesa (Tahiti, Bora Bora e muito mais)

Taí um destino que faz parte da listinha de desejos de grande maioria dos viajantes. Muitos, ainda, sonham com Bora Bora ou alguma outra...

Sardenha: o paraíso!

A Sardenha é uma ilha – mais precisamente um verdadeiro paraíso – localizada no Mediterrâneo a oeste da Itália, país a qual pertence. Ela não...

Montanhas Rochosas

O VamosPraOnde partiu rumo às Montanhas Rochosas Canadenses para explorar cenários que fogem do comum. Queríamos ir além das dicas de revistas, além do turismo padrão, além da multidão. E conseguimos!

Um passeio pela Normandia: Giverny

27 de Maio de 2014
9 comentários 2.217 visualizações

A Fabi e seu marido (@loucosporviagem) são apaixonados pela França! Sempre que possível, eles incluem em suas viagens road trips pelo país que tanto encanta os brasileiros. Em suas próprias palavras, “As paisagens são lindas, a comida é deliciosa e o vinho e a champagne são top! O país está super preparado para receber os turistas e hoje é um mito dizer que os franceses não falam inglês.”

Ela sempre diz que a França é muito mais do que Paris: há muito o que se explorar por lá, desde a região da Champagne, Alsácia, Borgonha, Vale do Loire, a belíssima região da Bretanha, Cotê d`Azur, os Alpes, a Provence, até a charmosa ilha de Córsega no Mediterrâneo, dentre muitos outros destinos encantadores! 

Em sua última viagem pelo país, ela e o marido resolveram conhecer melhor a Normandia e ficaram simplesmente encantados com a região! Foi aí que ela resolveu contar pra gente tudo que viu por lá, nesse delicioso roteiro organizado em 4 partes, começando por Giverny, onde está a casa em que viveu Monet. | Clique aqui para ver nossa matéria sobre a Normadia |

De carro pela Normandia, parte 1 – Giverny

por Fabiane Gama

GivernyA ideia era conhecer a Normandia, e a melhor forma de viajar por essa ampla região é alugando um carro. Fizemos o aluguel pela Europcar no próprio aeroporto Charles de Gaulle, em Paris, e dirigimos por uma hora (cerca de 75 km) até a nossa primeira parada: Giverny!

Lá está a Fundação Claude Monet, onde é possível visitar a casa em que o pintor, mestre do impressionismo, morava, e os belos jardins que serviram como fonte de inspiração para várias de suas obras.

Paris - Giverny Mapa

A melhor época para visitar a fundação é justamente na primavera, nos meses de abril e maio, quando os jardins estão repletos de tulipas! Já estivemos lá há alguns anos no mês de junho e confesso que fiquei um pouco decepcionada com os jardins, afinal, no verão eles não estão tão bonitos.  


A Fundação não fica aberta o ano todo. Em 2014 o período de funcionamento será de 1o de abril até 1o de novembro das 9h30 às 18h, mas essas datas mudam a cada ano, por isso verifique direto no site oficial o período de funcionamento. 

Importante: A primavera é o período mais concorrido para visitar a fundação, por isso, não deixe de comprar o ingresso on-line antecipadamente, evitando perder tempo na imensa fila que se forma na bilheteria! Acesse este site para realizar sua compra. O ingresso custa 9,50 euros por pessoa.

A visita começa e termina no Atelier des Nymphéas, uma lojinha irresistível!

Em seguida entramos nos jardins propriamente ditos (o mais incrível é saber que Monet também projetou e cuidou dos jardins!) e já vemos a casa em que Monet morou de 1883 até sua morte, em 1926. Muitos móveis são originais e não é permitido tirar fotos lá dentro. Você pode, entretanto, ver fotos oficiais aqui.

Depois, uma passagem subterrânea leva os visitantes até o Jardim das Águas, onde está o famoso Lago das Ninféias e a Ponte Japonesa, ambos retratados pelo pintor inúmeras vezes.

O ideal é reservar um dia inteiro para esse passeio, pois além dos jardins e da casa do Monet, há o Museu dos Impressionistas (bem pertinho da Fundação Claude Monet) e a própria cidadezinha de Giverny, que é um charme.

Há vários estacionamentos gratuitos para quem quiser visitar a região de carro como nós.

Giverny

Já para quem preferir ir a Giverny a partir de Paris sem carro, há 2 opções:

1) Comprar um tour na agência France Tourisme ou na City Paris Vision a partir de 65,00 euros por pessoa (basta comprar pelo site na data desejada, imprimir o voucher e comparecer na agência escolhida no dia e horário combinado);

2) Ou uma opção mais em conta: trem + ônibus (não é tão cômodo, mas a vantagem, assim como para quem vai de carro, é não ficar preso ao horário do tour)

– Pegar um trem da Grands Lignes na Gare Saint Lazare ( arrondissement) até Vernon (cerca de 45 min);

Ao descer da plataforma em Vernon você já verá placas indicando o caminho para os ônibus que o levam a Giverny (os horários dos ônibus são casados com a chegada dos trens). São apenas 7km de viagem. Você compra sua passagem (4,00 euros) direto com o motorista, de dentro do ônibus.

– Quanto à volta, no ponto final do ônibus Vernon-Givenchy você encontra a tabela de horários. Os ônibus são, novamente, coordenados com as saídas do trem para Paris.

giverny

De Giverny, seguimos para o incrível Mont Saint Michel. Clique aqui para acompanhar nossa viagem por mais esse incrível destino.

DICAS

Para comprar o bilhete de trem acesse o site da SNCF. O trecho custa 13,90 euros. As passagens valem por dois meses a partir da data da compra. Ao comprar pela internet, selecione a opção de entrega “borne libre service”; assim, ao chegar na estação, você apenas precisará encontrar uma máquina de auto-serviço e passar o seu cartão de crédito usado na compra. Sua passagem será impressa.

Importante sobre passagens de trem: Não se esqueça de validar o seu bilhete. Você sempre deve validá-lo antes de embarcar no trem. Para tal, basta inserir a passagem em uma das máquinas disponíveis na entrada da plataforma. A máquina dará um carimbo  em sua passagem; sem ele, ela não estará válida (não haverá registro de que a viagem será feita naquele dia e horário) e você poderá pagar uma multa se for pego pelo fiscal.

Gostou desse post? Compartilhe com os amigos!
  1. […] que esse texto foi gentilmente cedido por mim ao blog VamosPraOnde, onde encontra-se publicado com algumas […]

  2. Vanessa 05/06/2014

    Tinha lido lá na nossa viagem mas não posso deixar de fora meu comentário aqui!Post liiiiindo!!Fotos lindas!Que colorido!!!Encantador =)

    • Fabi @loucosporviagem respondeu Vanessa 09/06/2014

      Obrigada! Eh verdade! Vc leu no meu ipad la em split junto com a carol kkkkkk

  3. Fabi @loucosporviagem 27/05/2014

    Pra variar ficou lindo! Amei!!!

  4. Monica 27/05/2014

    Adorei Fabi!!!!!! Lindo e convidativo!!! Sem dúvida um dos lugares mais lindos que já visitei e fiquei maravilhada de pensar que Monet acordava com esse jardim todos os dias.
    Engraçado que já fiz muitas viagens de trem pela França e outros país europeus e sempre validaram meu bilhete dentro do trem mesmo. O próprio fiscal passa e valida, fora do trem acho que só validei uma vez na Itália. Nunca tive problema nenhum mas é bom ficar bem atento às regras de cada país.

    Parabéns pelo texto!
    Bjoss

    • quelfurtado respondeu Monica 27/05/2014

      Ei Monica! Ficou lindo ne?! As fotos da Fabi são demais!!

      Menina, que bom saber isso do bilhete! Foi até eu quem completou essa parte de validá-lo porque eu já tive problema na França com isso. Desde então sempre fiquei preocupada, mas bom saber que não é exatamente assim. Comigo, explicaram que o fiscal não passa sempre, e se eu não validar o ticket por conta própria, poderei usar a mesma passagem mais de uma vez, o que seria “ilegal”.
      Você não teve problemas mesmo sendo passagem sem data pré agendada?

      Obs. Na suíça também viajei sem validar e não tive problema nenhum! Só na França mesmo!

      • Monica respondeu quelfurtado 27/05/2014

        Quel, sempre comprei os bilhetes pela internet com data pré agendada. E sempre me preocupei com a questão de validar. Mas muitas vezes nas estações não achei onde validar, então embarcamos assim mesmo. O fiscal validou dentro do trem. E não foram poucos os lugares onde foi assim: França, Inglaterra, Praga, Áustria, Bélgica. Mas acho que é como vc falou, caso o fiscal não passe e depois verem que o bilhete não está validado pode dar problema. É sempre bom mesmo ver em cada país e cada estação como funciona.
        Bjss

      • quelfurtado respondeu Monica 27/05/2014

        Valeu a dica Monica!! Bom saber! Acho que ter a data pré agendada já acaba eliminando o problema de usar mais de uma vez, né?! Mas em todo caso, fica nossa dica :)

    • Fabi @loucosporviagem respondeu Monica 27/05/2014

      Eu tb so me lembro de ter validado na italia, mas no trem entre Viena e Budapeste tive problema com isso! So nao entendi que problema já que o fiscal nao falava uma palavra de inglês kkkkkkkkkkk