185
roteiros
124
cidades

Fíji para mochileiros ou viajantes econômicos

É até difícil imaginar, mas Fíji é um país que recebe MUITOS mochileiros e viajantes mais econômicos! Acho que o marketing dos grandes e...

Estados Unidos muito além de Miami, Disney e NY – Parte 01

Se você nos acompanha pelo Instagram, já deve saber que estamos passando 38 dias no oeste dos Estados Unidos, explorando Parques Nacionais e outros cantinhos naturais muito bem preservados pelos americanos. Estamos agora no Arizona!

Polinésia Francesa (Tahiti, Bora Bora e muito mais)

Taí um destino que faz parte da listinha de desejos de grande maioria dos viajantes. Muitos, ainda, sonham com Bora Bora ou alguma outra...

Sardenha: o paraíso!

A Sardenha é uma ilha – mais precisamente um verdadeiro paraíso – localizada no Mediterrâneo a oeste da Itália, país a qual pertence. Ela não...

Montanhas Rochosas

O VamosPraOnde partiu rumo às Montanhas Rochosas Canadenses para explorar cenários que fogem do comum. Queríamos ir além das dicas de revistas, além do turismo padrão, além da multidão. E conseguimos!

Num-Ti-Jah Lodge (Canadá)

02 de Dezembro de 2013
4 comentários 514 visualizações

IMG_2735

Um casarão lindo, todo de madeira e telhado vermelho, às margens de um maravilhoso lago de águas azuis. Essa foi nossa primeira impressão do Num-Ti-Jah Lodge, hotel que escolhemos para pernoitar durante nossa viagem pela Icefields Parkway, no Canadá. Distante de tudo que não seja natureza, o local nos encantou pelo charme, beleza e tranquilidade.

Esse hotel é indicado para casais ou famílias que estejam viajando de carro e procuram uma cabana em contato com a natureza. Ideal para passar um dia ou dois. Não é indicado para quem busca luxo e modernidade. Apesar de rústico e de possuir acomodações simples, consideramos a experiência da hospedagem extremamente agradável. A cidade mais próxima é Banff, a 95km de distância. Escala de Custos: 3 – Médio/Alto.

O Num-Ti-Jah Lodge é também conhecido como Simpsons’ Lodge em homenagem ao viajante e explorador inglês, Jimmy Simpson, que se mudou para o Canadá e construiu o hotel como uma base para suas próprias expedições. Jimmy acampou no local em 1898 e se apaixonou; desde então, ter uma casinha por ali passou a ser o seu maior desejo. Vinte e cinco anos depois, o sonho se tornou realidade e uma pequena cabana foi construída nas margens do lago. Foi em 1937, entretanto, com o sucesso e beleza da região, que um grande número de pessoas se interessou pelo local e Jimmy decidiu transformar seu refúgio em um hotel. Foram construídos mais seis quartos e a “pequena cabana” passou a se chamar Num-Ti-Jah Lodge. Jimmy e sua família gerenciaram e moraram no local até 1974, quando Jimmy e o filho faleceram.

Desde 1950 o hotel não sofreu mudanças significativas, de forma que o sonho e a história da família Simpson ainda estão preservados por ali. 

Num-Ti-Jah Lodge

Construído à beira do Bow Lake – um dos lagos mais impressionantes da rota canadense pelas montanhas rochosas – o Lodge é um refúgio perfeito para relaxar e se aproximar da natureza.

Atualmente são 16 quartos, alguns com vista para o lago, outros com vista para a montanha. Tivemos a sorte de conseguir um com vista para o lago, apesar da janela ser bem pequenina. É importante frisar o que mencionamos a pouco: o hotel não passa por grandes reformas desde a década de 50. Sendo assim, o ambiente é rústico e a construção do Lodge é antiga. As paredes são finas, os banheiros pequenos e não há elevador para te levar ao três andares que ele possui. O quarto também é simples, mas em momento algum nos faltou conforto; muito pelo contrário: num ambiente como aquele, com um belíssimo contato com a natureza, a última coisa que queríamos era um hotel imponente e moderno. A ideia de conhecer um pouquinho da história e da cabana da família Simpson nos parecia perfeita – e foi. Ainda mais com o Bow Lake exatamente à nossa frente. Acreditem: ele é ainda mais bonito ao vivo que nas fotos! :)

Antes de fazermos a reserva no Num-Ti-Jah, lemos vários comentários deixados por viajantes no Trip Advisor. Havia muita crítica à simplicidade das acomodações. No nosso ponto de vista, as críticas estão bastante exageradas – talvez tenham sido deixadas por turistas que buscavam luxo e se decepcionaram, assim até seriam justificáveis. O site do hotel também apresenta fotos que valorizam bastante os quartos, o que pode dar uma falsa ideia de um ambiente luxuoso. A definição ideal para o hotel seria aconchegante e charmoso.

[Importante: O TripAdvisor apresenta o hotel como uma hospedagem em Lake Louise. Na realidade, este lago está a 35km de distância. Cuidado para não pensarem que o Num-Ti-Jah está nas margens do Lake Louise.]

Nós ficamos extremamente satisfeitos com o nosso quarto (esse das fotos). O tamanho era ótimo e o banheiro, apesar de pequeno, deu conta do recado! Foi só um pouquinho chato ter que carregar as malas enquanto subíamos as escadas até o quarto – não tivemos ajuda para isso – mas nada que pudesse afetar significativamente nossa opinião sobre o hotel. [De todo jeito, lembrem-se de não levar muita mala pra lá: aproveitem para deixar no carro o que não forem usar durante a estadia].

A sala de estar também é muito aconchegante, além de ter um segundo ambiente com uma mesa de sinuca para os hóspedes se divertirem. Todo o lodge tem aquele estilão de cabana nas montanhas: todo de madeira, com grandes poltronas confortáveis e várias cabeças de animais empalhadas presas à parede.

A área externa também é bem bonita. O hotel disponibiliza cadeiras para que os hóspedes relaxem apreciando a vista, além de mesas para um pic-nic.

O ponto forte do Num-Ti-Jah, além claro, da localização privilegiada*, é o restaurante. Sala ampla repleta de janelas, uma grande lareira, cadeiras confortáveis e um cardápio de dar água na boa. Não tem erro. Mesmo que não se hospedem no Lodge, não deixem de passar por lá para um jantar. Lembrem-se que é necessário fazer reserva com antecedência informando o horário de chegada.

É possível ver o cardápio do jantar e do café da manhã neste link oficial do hotel. Para reservas, use a seção de contato no mesmo link. (O site está em inglês)

* Lembrem-se, o hotel está bem longe de qualquer cidade (a mais próxima é Banff, a 95km). Ao dizer ‘localização privilegiada’ nos referimos ao contato com a natureza e a extrema beleza do local.

Essas delícias da foto foram o nosso jantar no dia da chegada. Pedimos como entrada uma panelinha de cogumelos (maravilhosa!!) e um delicioso peixe como prato principal. Claro que não podia faltar o vinhozinho para acompanhar aquela noite fria e gostosa em meio às montanhas canadenses.

O jantar, entretanto, não é lá muito barato, mas o investimento vale a pena.

A hospedagem também tem um custo elevado. Pagamos CAD 205 (algo como U$200,00) por uma diária em setembro/2013. Esse valor pode ser considerado alto se levarmos em conta apenas os quartos, mas o consideramos coerente com a experiência que o Lodge proporciona.

Para conferir os preços atuais, acesse o site do Booking.com e insira suas datas desejadas. Se preferirem, consultem tarifas e disponibilidades no próprio site do hotel.

Captura de Tela 2013-12-03 às 01.08.04

NOS ARREDORES DO HOTEL

Chegar no Num-Ti-Jah é extremamente fácil. Nós estávamos dirigindo no trajeto Jasper – Banff e encontramos a entrada sem dificuldade alguma. Na própria Icefields Parkway haverá uma entrada para o hotel, indicada com duas plaquinhas e a bandeira do Canadá, como mostra a foto abaixo. Você pode ir com o carro exatamente até o hotel. Há um estacionamento um pouco antes, mas os hóspedes têm uma área bem em frente à entrada para deixar o carro. 

IMG_2757[googlemaps https://maps.google.com.br/maps?f=d&source=s_d&saddr=Jasper,+AB,+Canad%C3%A1&daddr=Num-Ti-Jah+Lodge,+Trans-Canada+Highway,&hl=pt-BR&geocode=Fa3fJgMd6ED2-CkpPlVoCCuDUzGCKBkLvQIgHw%3BFXSNFAMd6dwO-SHfyI4ECj6BxSmLacFhlXl3UzHfyI4ECj6BxQ&aq=0&oq=Jaspwe&sll=51.67858,-116.466455&sspn=0.688048,1.295013&mra=ls&ie=UTF8&t=m&ll=51.673407,-116.451988&spn=0.037259,0.120163&z=13&output=embed&w=333&h=305]

TREKKING – BOW GLACIER FALLS

Existem diversas opções de trekking para serem feitas a partir do hotel. Nós optamos por caminhar até a Bow Glacier Falls, uma cachoeira que conseguíamos ver da entrada do Lodge. Foram 5km de pura natureza e uma imensidão de paisagens maravilhosas até chegarmos à sua base. Valeu a pena cada segundo!

BOW LAKE – EM FRENTE AO HOTEL

Na volta, apesar do dia não estar muito quente, o sol estava forte e nós resolvemos dar um mergulho no Bow Lake depois de toda aquela caminhada. Nada de ter medo de água fria! ;) Podem entrar confiantes que o mergulho é revigorante!

Infelizmente ficamos apenas uma noite no hotel. Na nossa opinião seria interessante passar pelo menos duas noites por lá. Mas essa sugestão é válida para aqueles que se interessam bastante por natureza e por esse “isolamento” que o Lodge proporciona.

Apesar do curto prazo, conseguimos aproveitar bastante a região.

Nos despedimos do Num-Ti-Jah Lodge e do Bow Lake no dia seguinte à nossa chegada. Tristes por partir mas extremamente contentes pela ótima experiência.

O hotel se encaixa nos nossos critérios “Vamos indica: Charme e Natureza” e “Vamos indica: Para ir a dois”.

Bye-bye Bow Lake

No caminho, só um pensamento constante passava por nossa mente. “Por que mesmo não reservamos mais dias aqui?”

– Talvez pra nos deixar com ainda mais gostinho para voltar…

Gostou desse post? Compartilhe com os amigos!
  1. Jorge Caliman 26/08/2016

    Estivemos por lá em maio-2012, vindo de Jasper via Icefields Parkway para Banff e depois pra Vancouver…. De lá ALaska !!!

    O hotel é simples mais bonito e o local mais bonito ainda…. Naquela época tava bem frio e ainda tinha muito gelo na região e em volta do hotel e o Bow lake tava gelado….. Lindo!!

  2. Heitor 05/12/2013

    Excelente relato Raquel.
    Parabéns, fiquei com vontade de conhecer. Ele abre no Inverno também?

    • Marianne respondeu Heitor 15/12/2013

      também gostaria de saber sobre o inverno!!

    • quelfurtado respondeu Heitor 15/12/2013

      Oi Heitor e Marianne,
      Sim, ele abre no inverno! O visual é lindo mas o clima um pouco impeditivo para os passeios por ali.
      Muita chance de neve na estrada, o que também pode dificultar a chegada.
      Abraços,

      Raquel