185
roteiros
124
cidades

Fíji para mochileiros ou viajantes econômicos

É até difícil imaginar, mas Fíji é um país que recebe MUITOS mochileiros e viajantes mais econômicos! Acho que o marketing dos grandes e...

Estados Unidos muito além de Miami, Disney e NY – Parte 01

Se você nos acompanha pelo Instagram, já deve saber que estamos passando 38 dias no oeste dos Estados Unidos, explorando Parques Nacionais e outros cantinhos naturais muito bem preservados pelos americanos. Estamos agora no Arizona!

Polinésia Francesa (Tahiti, Bora Bora e muito mais)

Taí um destino que faz parte da listinha de desejos de grande maioria dos viajantes. Muitos, ainda, sonham com Bora Bora ou alguma outra...

Sardenha: o paraíso!

A Sardenha é uma ilha – mais precisamente um verdadeiro paraíso – localizada no Mediterrâneo a oeste da Itália, país a qual pertence. Ela não...

Montanhas Rochosas

O VamosPraOnde partiu rumo às Montanhas Rochosas Canadenses para explorar cenários que fogem do comum. Queríamos ir além das dicas de revistas, além do turismo padrão, além da multidão. E conseguimos!

Rafting em Itacaré, Bahia

14 de Janeiro de 2014
4 comentários 1.639 visualizações

Um programa muito tradicional em Itacaré é ver o pôr do sol na Ponta do Xaréu, no encontro do Rio das Contas com o mar. Mas o que muita gente não sabe é que este rio, de águas aparentemente calmas, conta com diversas corredeiras, ótimas para a prática do Rafting, a apenas alguns km de distância rio acima.

Imagem

Nós fizemos este passeio com a empresa Ativa, tradicional no ramo, que conta com bases no Rio de Janeiro e em Santa Catarina, além da Bahia. Fechamos o pacote na agência Rafting e Cia, na rua Pituba, ao valor de R$ 95,00 por pessoa. O “pacote” dá direito também a uma descida em tirolesa e transporte para a base da aventura, em Taboquinhas, distante cerca de 40 km de Itacaré (sem transporte, o valor cai para R$ 65,00, mas devido ao trajeto ter uma grande parte em estrada de terra, recomendamos que se opte pelo valor com transporte incluso). Nós optamos por ir pela manhã, mas também é possível fazer o passeio à tarde.

Mapa Rafting

Imagem recuperada do Guia Online de Itacaré

Uma vez na base da empresa, são distribuídos os equipamentos de proteção: colete salva-vidas e capacete e ensinadas as noções básicas da prática do esporte, tais como o manuseio do remo, os comandos que serão dados pelo instrutor e o que fazer em caso de cair na água.

Imagem

A divisão dos grupos nos barcos foi meio confusa, pois estávamos em um grupo de oito (exatamente o número de pessoas que cabem no maior bote) e tivemos que negociar bastante para conseguirmos ficar juntos, já que havia outros grupos menores juntos em um bote grande (a empresa já poderia fazer a divisão dos grupos nos respectivos barcos antes de chegarmos lá, para evitar atrito).

Feito o briefing inicial e a divisão dos grupos, era hora de entrar na água! O rafting no Rio das Contas tem corredeiras de níveis 3 e 4, podendo aumentar na época de chuvas. O trajeto percorrido levou cerca de uma hora e meia, passando por quatro diferentes corredeiras. Quando fomos, a chuva havia dado trégua já fazia uns 10 dias então o rico não estava muito cheio; os mais experientes na prática de rafting podem achar, nessas situações, o passeio muito fácil (para nós, foi bem divertido. Se a dificuldade não é das maiores, o mesmo não se pode dizer da beleza do local: passamos por dentro de um pequeno (e bem estreito) cânion e pudemos observar a flora e a fauna da região, com plantas nativas da mata atlântica e passarinhos coloridos.

Um dos pontos altos da aventura é o momento em que paramos no meio do cânion e saímos do bote para saltar de uma pedra de 8 metros de altura – esta parte é opcional e os menos aventureiros podem observar os saltos no conforto do bote!

Ao chegarmos de volta na base da Ativa, colocamos o equipamento necessário para descer na tirolesa (o passeio só permite uma descida) e nos preparamos para voltar para Itacaré. Na base é possível comprar um lanchinho em um pequeno bar e guardar os pertences em lockers. Também são oferecidas as fotos do passeio (como as que ilustram essa matéria) em um CD, ao valor de R$ 40,00.

O ponto baixo do passeio (além da confusão inicial para dividir os grupos nos botes) foi a qualidade do transporte oferecido: um micro-ônibus velho, bem quente e desconfortável, que ainda por cima furou o pneu no meio do caminho de volta. Mesmo assim, achamos que valeu a pena pegá-lo, já que a sinalização e o estado da estrada de terra tornariam difícil chegarmos lá sozinhos.

Apesar dos pequenos poréns, recomendamos fortemente o passeio! Se por um lado, ele não foi o máximo de adrenalina que já experimentamos, sem dúvida ele nos possibilitou ver um lado exuberante e diferente do que estamos acostumados a ver na região de Itacaré.

Para ler a nossa matéria completa sobre Itacaré, clique aqui!

Gostou desse post? Compartilhe com os amigos!
  1. dejanira 17/08/2016

    Oi ufa sou guia de turismo indo nesta sexta feira para Itacare pela primeira vez.Suas dicas muito importantes para mim.Entendi rss melhor Itacare.Chego no sabado 12bhoras.e Fico ate na segunda feira saindo as 14 horas Vc tem dicas de trilhas.Possa fazer na segunda feira ate 11 horasbcom eles.Saindo as 08.h.Obrigada Deja

  2. Lais Fernandes Oliveira 14/02/2015

    Obrigada pelos posts sobre Itacaré, acabei de voltar de uma viagem pra lá com a família e usamos bastante as suas dicas!
    Sobre o rafting, pagamos R$60,00 em uma empresa de turismo e fomos de carro, agora a estrada é asfaltada até Taboquinhas e percorre apenas em torno de 1km em terra… preferimos essa opção porque estávamos em dois carros cheios e seríamos 7 que fariam o passeio, os outros 3 ficaram na base enquanto nós estávamos na aventura. Ah, uma coisa que procurei em muitos lugares e não achei foi o tamanho mínimo para o passeio pois tenho um irmão de 10 anos que adora uma aventura! A idade mínima é 8 anos e as crianças podem ficar no meio do barco ou ao lado do guia, que os mantem sempre seguros. Achei super profissional e voltaremos com certeza!

    Outra opção sobre Itacaré e que acho que vale muito a pena é o arvorismo na Praia da Ribeira (localizada perto da rua da Pituba). O preço normal é R$80,00 comprando diretamente na base (que fica na praia mesmo) ou entre R$90,00 e R$100,00 se comprados em empresas de turismo. Pagamos R$75 pois estávamos em seis. O tamanho mínimo era 1,30m o que possibilitou nosso pequeno ir também! A educação e o profissionalismo do instrutores nos surpreenderam e sempre ia um acompanhando o menor para ter certeza de que ele estava fazendo tudo correto. Tem um treinamento antes e eles sempre ficam de olho se estamos seguindo os passos corretamente, garantindo a nossa segurança. O passeio é incrível, são 13 pontes de arvorismo e 8 tirolesas. Aos que não se interessarem no arvorismo tem a opção de fazer apenas as tirolesas, o que fica por volta de R$40,00 comprando na base. Sobre as tirolesas: só indo pra saber a emoção que dá! Há duas que passam por cima das copas das árvores e uma delas tem 50m de altura e 200m de comprimento!!!! Outras duas passam por cima da praia e têm uma vista de tirar o fôlego! O nosso durou cerca de 2hrs pois estávamos em maior grupo. Super recomendo e faria de novo e de novo!!

    Muito obrigada pelas dicas, espero ter ajudado.

  3. Sarah 22/04/2014

    Já fiz é uma delícia!!!! um dos melhores passeios