185
roteiros
124
cidades

Fíji para mochileiros ou viajantes econômicos

É até difícil imaginar, mas Fíji é um país que recebe MUITOS mochileiros e viajantes mais econômicos! Acho que o marketing dos grandes e...

Estados Unidos muito além de Miami, Disney e NY – Parte 01

Se você nos acompanha pelo Instagram, já deve saber que estamos passando 38 dias no oeste dos Estados Unidos, explorando Parques Nacionais e outros cantinhos naturais muito bem preservados pelos americanos. Estamos agora no Arizona!

Polinésia Francesa (Tahiti, Bora Bora e muito mais)

Taí um destino que faz parte da listinha de desejos de grande maioria dos viajantes. Muitos, ainda, sonham com Bora Bora ou alguma outra...

Sardenha: o paraíso!

A Sardenha é uma ilha – mais precisamente um verdadeiro paraíso – localizada no Mediterrâneo a oeste da Itália, país a qual pertence. Ela não...

Montanhas Rochosas

O VamosPraOnde partiu rumo às Montanhas Rochosas Canadenses para explorar cenários que fogem do comum. Queríamos ir além das dicas de revistas, além do turismo padrão, além da multidão. E conseguimos!

O que fazer na Eslovénia

13 de Julho de 2017
7 comentários 496 visualizações

Eslovenia, um país que te encanta de inúmeras maneiras

Quando fomos para a Europa, na primavera de 2016, tivemos um “buraco” de dois dias no nosso roteiro entre a estadia no Falkensteiner Schlosshotel Velden, na Áustria (maravilhoso, diga-se de passagem) e Lugano, na Suíça. Como Velden está a cerca de meia hora de carro da fronteira com a Eslovénia, resolvemos conhecer o país.

a ilha do lado de Bled

Bom, deixa eu fazer uma mea-culpa:

Nós não conhecíamos nada sobre o país – apenas que era uma ex república soviética e que o nome parecia com Eslováquia :-). Inclusive falamos para um amigo que mora por lá para pegar o carro e nos encontrar na Eslovénia (o que valeu apenas para descobrir que os países não são vizinhos, nem tão próximos assim: a Hungria está entre eles) #confesso, não sabia! Pensávamos também que iríamos encontrar um povo mais ríspido, naquele estilo russo caricato de filmes – a verdade, galera, é que não podíamos estar mais enganados!

Conhecemos um dos povos mais simpáticos da Europa, que nos acolheu de braços abertos em um país com uma natureza exuberante e uma história fantástica, com cenários que parecem saídos de contos de fada.

Bled – um charme na Eslovénia

Nosso destino inicial foi Bled, uma cidadezinha pequena, a 40 minutos de carro de Velden, Áustria, onde estávamos hospedados anteriormente. O cartão postal da cidade é seu lago: lindo, daquelas paisagens que impressionam mesmo! Ele tem 6km de circunferência e é ótimo para uma corrida em sua margem.

lago de Bled

Dentro dele, há uma ilha com uma charmosa igrejinha do século XI – nós até planejávamos remar até ela no dia seguinte, mas o clima infelizmente não colaborou. Se o tempo tiver bom quando vocês forem, façam esse passeio! Deve ser lindo!

Em uma colina bem pertinho da margem está um castelo medieval construído a mais de 1000 anos, extremamente bem conservado, que conta com um restaurante e te permite ter vistas lindas do lago, da cidade e dos Alpes Julianos ao fundo – é o Bled Castle, considerado o mais antigo da Eslovénia. A entrada custa 10 euros para adultos, 7 para estudantes e 5 para crianças. Você pode ver os preços atualizados nesse link do site oficial. O horário de funcionamento, de acordo com a época do ano, você vê aqui.

Nós nos hospedamos no Hotel Kompas, com uma localização excelente. A diária com café da manhã custou cerca de R$410,00 para nós dois. O hotel ainda conta com piscina coberta, jacuzzi e uma pequena academia. Não achamos o hotel nada de excepcional, mas foi um bom custo benefício. Você pode ver valores atualizados aqui (basta colocar a data de interesse).

Outras opções são Best Western, o Old Bled House (esse com uma arquitetura mais tradicional, original e charmosa) e o Penzion Berc (cujo restaurante conhecemos e adoramos!).

À noite, resolvemos jantar exatamente no Penzion Berc, uma pensão muito bem avaliada no trip advisor. Foi lá que nos apaixonamos pelo povo esloveno. Que garçom simpático que nos atendeu – e que orgulho ele tinha de seu país e da sua gastronomia! Ele nos recomendou um vinho tinto esloveno chamado Teran, da vinícola Tauzher, que estava divino!! Para comer, fomos de tábua de queijos e presuntos locais de entrada com uma carne trufada com legumes (de comer de joelhos).

Vintgar Gorge e Sum Warterfall

No dia seguinte, acordamos cedo e dirigimos cerca de 6km pela área rural de Bled até chegarmos no Vintgar Gorge, um cânion de águas verdes cristalinas, que termina na Sum Waterfall, uma cachoeira linda de 13 mts de altura.

natureza em bled

Mesmo com o tempo chuvoso, dava pra ver a beleza do lugar enquanto caminhamos pelos 1,6 km de trilha e passarelas. Adultos pagam €5,00 para entrar (estudantes pagam €4,00 e crianças de 6 a 15 anos pagam €2,50 – abaixo de 6 anos paga apenas €0,80). Há estacionamento grátis no local. Você pode ver os valores atualizados e horários de funcionamento nesse link oficial.

A capital Ljubljana

Após conhecer o Vintgar Gorge, seguimos para a capital do país, Ljubljana (queríamos conhecer Bohinj, que dizem ser lindíssima, mas não tínhamos muito tempo e a chuva não estava ajudando).

Chegamos em Ljubljana em menos de uma hora (são 54 km a partir de Bled), passando por uma estrada excelente. Estacionamos próximo ao centro histórico e fomos direto almoçar. Comemos no Le Pétit Café, um lugar super bonitinho, com ótimo atendimento e comida maravilhosa (tanto a massa quanto o risoto estavam excelentes). Aproveitamos para experimentar uma cerveja local chamada Lasko, que, assim como o vinho da noite anterior, estava bem gostosa.

Depois do almoço, subimos pelas margens do rio Ljubljanica, até a Dragon Bridge (em esloveno, Zmajski Most), passando também pela Triple Bridge (em esloveno, Tromostovje) e pela Catedral . Em toda a cidade é possível ver estátuas de dragões (só na Dragon Bridge são 20: 4 maiores nas pontas e 16 menores no resto da ponte).

O centrinho é bem convidativo para bater perna, com diversas construções históricas e lojinhas.

De lá, fomos até o castelo de Ljubljana, de onde tivemos uma bela vista da cidade. Nós subimos de funicular (€4,00 ida e volta ou €2,20 um trecho – pessoas abaixo de 18 anos e estudantes pagam €3,00 ida e volta ou €1,50 por trecho isolado). Acabamos optando por não entrar na parte paga dele, pra termos tempo para a nossa próxima parada: as cavernas de Postojna.

Nós não tivemos tempo suficiente pra dizer se vale ou não a pena ficar hospedado em Ljubljana, pois só conhecemos o centro histórico e não vivenciamos a vida noturna da cidade mas, se tivéssemos que indicar apenas um lugar no país, escolheríamos Bled ao invés da capital.

Caverna Postojna

De Ljubljana, dirigimos 40 minutos (cerca de 50 km) até a caverna Postojna, uma das maiores da Europa. Chegamos bem a tempo de pegar o último tour, que sai às 18:00h e custa €25,80 por adulto – crianças até 15 anos pagam €15,80, menores de 5 anos, €1,00 e estudantes €20,60 (cheque o valor atualizado no site oficial).

A caverna tem mais de 24 km de extensão e uma ferrovia em seu interior que te leva bem ao centro dela, onde desembarcamos e fazemos um passeio guiado a pé. Esta foi a caverna mais impressionante que já estivemos, com várias galerias e formações incríveis de estalactites e estalagmites. No final, nosso guia ainda nos brindou com um trecho de uma ópera, numa parte da caverna que tem uma acústica de fazer inveja a várias salas de concerto.

Castelo de Predjama

Após sairmos da caverna, seguimos por mais 10 km (cerca de 15 minutos) até o castelo de Predjama, que fica encravado em uma espécie de arco de rocha. A primeira menção a ele foi feita em 1274 e ainda está lá, firme e forte. Como em junho as visitações também ocorrem até as 18:00h, não foi possível visitá-lo por dentro (a entrada custa €13,80 para adultos; crianças abaixo de 5 anos pagam apenas €1,00, até 15 anos, €8,30 e estudantes pagam €11,00).

De maio a agosto, também é possível visitar a caverna sobre a qual o castelo foi construído (as entradas custam €9,90, €7,90 e €5,90 para adultos, estudantes e crianças menores de 15 anos, respectivamente).

Você pode comprar os tickets de acesso através do site oficial.

E assim terminou nossa aventura pela Eslovénia!

linha para dividir posts

De Predjama nós dirigimos cerca de 3 horas (301 km) até Verona, na Itália, onde pernoitaríamos antes de ir pra Lugano, na Suíça.

Nós não ficamos nem 48 horas na Eslovénia, mas foi tempo suficiente para conhecer bastante coisa e deixar uma parte de nosso coração por lá (não à toa, recomendamos para quase todo mundo uma ida ao país, quando nos pedem dicas!).

A Eslovénia um país com uma história riquíssima, paisagens maravilhosas e com preços bem mais acessíveis a nós, brasileiros.

Não vemos a hora de voltar lá e conhecer outros destaques do país, como Bohinj, Piran (uma das únicas cidades litorâneas eslovenas, no mar adriático), a caverna de Skocjan, o parque nacional Triglav e o Rio Soca, um dos mais bonitos da Europa, com uma água verde de tirar o fôlego (dizem que o rafting lá é sensacional).

Uma ótima opção também é conjugar uma visita a Eslovénia com uma viagem para a Croácia, Veneza, na Itália e Velden, na Áustria =)!

Se você já visitou a Eslovénia, deixe dicas na caixa de comentários aqui embaixo, ou no fórum, pois esperamos usá-las o mais breve possível!

Beijos,

Quel

linha para dividir posts

Gostou desse post? Compartilhe com os amigos!
  1. Vivi Giese 14/07/2017

    Estou louca para conhecer a Eslovenia desde que vi uma foto de Bled. Tenho 16 dias de férias em novembro e estou cogitando ir para lá, mas ainda não defini o roteiro e se vale a pena ir no frio para lá. Será que já tem neve para esquiar???
    Adoro seu blog e seu insta!
    Beijos

    • Raquel Furtado respondeu Vivi Giese 17/07/2017

      Oi Vivi! A Eslovênia é muito linda – acho que independente da época, vc vai ficar bem impressionada com o país. Infelizmente não sei te dizer sobre ski por lá ;(. Nós não conhecemos nenhum resort de ski. Dei uma olhadinha rápida na internet e rio que na direção da Áustria tem a estação Krvavec, que conta com +- 30km de pistas. Se quiser, acessa o fórum e deixa essa dúvida por lá que a gente vê se algum leitor pode ajudar ;-)

  2. Rebeca Alves 14/07/2017

    Aai, fiquei feliz e com uma sensação tão nostálgica ao ler isso! Ia mandar um email pra vcs falando desse lugar, mas que bom que vcs foram. É um lugar que, qd vai visitar, não tem uma expectativa mt grande, mas qd conhece nao quer mais ir embora! Eu me surpreendi real com a Eslovênia e hoje é um dos lugares que eu mais amei visitar!! Dica: Bohinj e Bovec são maravilhosos. Fiz rafting em bovec(no rio Soca) e canoagem no lago em bohinj, melhor experiência da vida!!

    • Raquel Furtado respondeu Rebeca Alves 17/07/2017

      Exatamente!!!!
      Ahh que delícia.. só fico aqui pensando em quando vou conseguir voltar e aproveitar o que ficou faltando! Adorei a dica do rafting e da canoagem! Obrigada ;-)

  3. Monique 13/07/2017

    Em julho de 2016 passei uma semana lá, a nossa base foi bled. Conhecemos Ljubljana, Bohinj, Skofja Loka, Maribor e fizemos trilhas pelo parque nacional Triglav. Não fomos para o sul pois queríamos explorar bem a região de bled. Que país maravilhoso! O povo é incrivelmente simpático, tudo muito limpo e organizado. Foi uma super surpresa e queremos muito voltar para dessa vez explorar o sul. Mas a parte que mais gostamos foi o parque Triglav, por lá corre um rio que tem uma cor esmeralda, a natureza é perfeita, e tem muitas trilhas para explorar tudo. E quem for não pode deixar de provar o vinho laranja, é um vinho típico deles e que é feito em pouquíssimos países, ele é muito forte mas adoramos! Super indico esse país para quem quer sair do roteiro comum na europa.

    • Raquel Furtado respondeu Monique 17/07/2017

      Oi Monique, tudo bem?
      Que delícia de relato!! Adorei as suas dicas! Obrigada por compartilhar com a gente!

  4. Janette Sima 13/07/2017

    Eslovênia é maravilhosa!! Pirei em Piran (com o perdão do trocadilho!). O rio Soca é lindo também.
    Até que para menos de dois dias vocês conheceram bastante coisa! Tá um ótimo esqueleto para um roteiro maior. Se voltarem, recomendo passar de 7 a 10 dias no país! Parabéns pelo blog!