185
roteiros
41
países
124
cidades

Fíji para mochileiros ou viajantes econômicos

É até difícil imaginar, mas Fíji é um país que recebe MUITOS mochileiros e viajantes mais econômicos! Acho que o marketing dos grandes e...

Estados Unidos muito além de Miami, Disney e NY – Parte 01

Se você nos acompanha pelo Instagram, já deve saber que estamos passando 38 dias no oeste dos Estados Unidos, explorando Parques Nacionais e outros cantinhos naturais muito bem preservados pelos americanos. Estamos agora no Arizona!

Polinésia Francesa (Tahiti, Bora Bora e muito mais)

Taí um destino que faz parte da listinha de desejos de grande maioria dos viajantes. Muitos, ainda, sonham com Bora Bora ou alguma outra...

Sardenha: o paraíso!

A Sardenha é uma ilha – mais precisamente um verdadeiro paraíso – localizada no Mediterrâneo a oeste da Itália, país a qual pertence. Ela não...

Montanhas Rochosas

O VamosPraOnde partiu rumo às Montanhas Rochosas Canadenses para explorar cenários que fogem do comum. Queríamos ir além das dicas de revistas, além do turismo padrão, além da multidão. E conseguimos!

Fraser Island, Austrália

09 de Abril de 2016
5 comentários 1.203 visualizações

Quem nos acompanha a mais tempo, sabe que nós dois moramos na Austrália em 2006. Temos um carinho muito especial pelo país, principalmente por Fraser Island, que foi onde nos conhecemos :-)! Estávamos super ansiosos para voltar!

Nós dois em Fraser Island
linha pontilhada

Fraser Island, mais um paraíso na Austrália

Fraser Island é a maior ilha de areia do mundo e abriga lagos paradisíacos, uma imensa floresta tropical, uma fauna variada, além de muitas dunas. A ilha está localizada a cerca de 3 horas (254km) ao norte de Brisbane e pode ser conhecida em um ou dois dias.

A gente seguiu pra lá depois de visitar Noosa, em Sunshine Coast,  de onde dirigimos por 2 horas (131 km) até Rainbow Beach, de onde saía nossa excursão.

Rainbow Beach é a saída mais comum para Fraser Island – o ferry demora cerca de 10 minutinhos. Um outro ponto de saída do ferry boat para a ilha é Hervey Bay.

Mapa Fraser Island
Explorando Fraser Island: carro alugado ou excursão

Como Fraser é toda de areia, é fundamental estar com um veículo 4×4. Existem então duas opções: alugar um carro ou pegar um tour fechado. Como nosso tempo era corrido, optamos por pegar o tour.

Como tudo na vida, esse tipo de passeio tem vantagens e desvantagens. A vantagem é ter tudo organizado e não precisar se preocupar com nada: não precisaríamos dirigir, o hotel já estaria agendado e as refeições prontas. O lado ruim é que não tínhamos flexibilidade de horário, visitamos alguns lugares que não necessariamente estariam em nosso roteiro e sempre estávamos com um grupo um pouco maior do que gostaríamos.

Nós fechamos nosso passeio com a empresa Cool Dingo. O tour durou dois dias e uma noite, com acomodação em quarto quádruplo no Eurong Beach Resort (o quarto não era nada demais, até meio ruinzinho, pra falar a verdade, mas quebrava um galho). O hotel conta com piscina e restaurante. As refeições também estavam incluídas, em regime de pensão completa (algumas refeições eram lanches durante os passeios).

O ônibus 4×4 da empresa nos buscou de manhã cedo no hotel, em Rainbow Beach e seguimos para o Ferry, em direção à ilha.

Atrações em Fraser Island

Nosso primeiro destino era o mais esperado: o Lake McKenzie, um lago com areia branquinha e águas cristalinas, de um tom azul impressionante.

Na primeira vez que estivemos lá, a 10 anos atrás, o tempo não cooperou muito. Dessa vez, infelizmente parecia que também não teríamos sorte… Eram várias nuvens no céu e chegamos no lago até com uma chuvinha fina. Porém, pra nossa imensa sorte, uns 10 minutinhos depois o tempo abriu e a gente pode admirar aquele lugar do jeito certo: com a luz batendo na água e deixando-a bem clarinha!

Fraser Island

Como estávamos num pacote fechado, tivemos que sair de lá antes do que gostaríamos. Se tivéssemos por conta própria, por exemplo, teríamos inflado nossas pranchas de SUP e remado naquela água maravilhosa!

Após sairmos do Lake McKenzie fomos para um setor da ilha chamado Central Station, uma antiga estação madeireira, onde fizemos uma trilha pela floresta. Nós abriríamos mão tranquilamente desse passeio, apesar de passar por um córrego bonitinho, para ficar mais tempo em outras partes da ilha, mas é algo que todos os tours oferecem (em 2006 também fomos pra lá).

Depois de uma pausa no hotel, aonde almoçamos, seguimos para o segundo lago mais famoso de Fraser Island: o Lake Wabby.

Diferentemente do Lake McKenzie, o Wabby tem um tom verde escuro, e está localizado entre uma duna imensa e a floresta. Em nossas recordações de 2006, lembrávamos de ter feito uma trilha intensa pelas dunas, dando uma sensação de uma travessia em um deserto (sério! eheheh), mas desta vez fizemos uma trilha bem mais tranquila, entre as árvores, que facilitou muito o acesso ao lago. Nos disseram que ela foi construída recentemente.

Depois de voltarmos ao ônibus, seguimos de volta ao hotel, para jantar e dormir. O hotel também tem um bar e, em noites de céu aberto, vale a pena andar até a praia pra observar as estrelas.

No dia seguinte, iríamos dirigir pela praia em direção ao norte da ilha.

Enquanto dirigíamos, avistando alguns dingos, uma espécie canina que habita a região. Por ser selvagem, deve-se evitar chegar perto deles, e, por mais que o guia faça uma comoção imensa cada vez que vemos um, ele mais parece um vira-lata magrinho hehe.

No meio da praia, paramos pra encontrar os pilotos da companhia Air Fraser (confirmar), que ofereceram um vôo panorâmico. Fechando o passeio ali, com a excursão, ficava bem mais barato que fechar por conta própria, custando 70 AUD por 15 minutos de sobrevôo.

Nós ficamos morrendo de vontade de ver a ilha de cima e resolvemos embarcar nessa, é curioso decolar da areia da praia e rapidinho estávamos sobrevoando a ilha. Foi maravilhoso ver aquela paisagem de cima: descobrimos que o Lake McKenzie tem formato de coração, vimos as dunas engolindo o Lake Wabby, a densidade da floresta é aquele mundão de areia, lagos e mar! Vale muito a pena (e comparando com outros vôos panorâmicos que já fizemos, o preço estava muito bom).

Fraser Island Lake Mckenzie

O avião pousou mais adiante de onde tínhamos decolado, onde o ônibus nos esperava e onde mais uma leva de viajantes embarcou pra ver aquele paraíso de cima.

Depois de todos retornarem ao ônibus, nós paramos no Eli Creek pra um mergulhinho. Ele é um córrego de água bem cristalina e serve como praia pros visitantes. Como o mar lá tem muitos tubarões e águas vivas, não é recomendável nadar lá, então temos que buscar opções alternativas.

Os passeios em geral oferecem bóias pros turistas flutuarem na correnteza do córrego, mas sinceramente é um pouco pega-turista e meio sem graça. De qualquer jeito, se você estiver de carro, vale uma parada por lá na volta do passeio pra tomar um banho de água doce e curtir um clima de praia mais cheia, já que todos os passeios param por ali.

No plano original do passeio, a gente iria direto pros pontos mais ao norte que chegaríamos: o mirante de Indian Heads e a piscina natural Champagne Pools, mas como o tempo estava meio fechado, o guia achou melhor parar no Eli Creek antes para dar tempo das nuvens se dissiparem.

Após sairmos do Eli Creek, paramos pra tirar fotos no naufrágio do navio Maheno, um dos cartões postais da ilha. O Maheno foi um navio de passageiros que estava sendo rebocado pro Japão para ser transformado em sucata e acabou sendo surpreendido por uma tempestade no meio do caminho, indo parar nas areias de Fraser Island, onde está desde então.

Fraser Island

A parada seguinte foi numa área chamada Pinnacles, que tem areia de diferentes colorações, onde ficamos apenas alguns minutos, para “cumprir tabela”. Se você estiver de carro, pare pra olhar rapidinho, já que está no meio do caminho.

Seguindo pela praia, fomos até o mirante Indian Heads, onde o ônibus parou na areia e nós fizemos uma caminhada de menos de dez minutos para ver a vista. Confesso que não esperávamos muito, mas fomos completamente surpreendidos lá em cima! Olhando pro norte, havia um imenso banco de areia fazendo uma piscina natural incrível na praia, e seguindo até a ponta do mirante, podíamos ver uma água tão cristalina que foi possível avistar quase dez tartarugas, várias arraias e até dois tubarões! Ficamos cerca de meia hora lá, contemplando a vista e a vida marinha.

Logo depois de Indian Heads, a cerca de um quilômetro mais ao norte, estava nossa último ponto a ser visitado: as Champagne Pools. Para chegar até ela, é preciso pegar um desvio à esquerda, um pouquinho antes de Indian Heads, bem fácil de ver (uma estrada de areia subindo o morrinho).

As Champagne Pools são um “complexo” de piscinas naturais que se formam em pedras à beira mar. Ela tem esse nome pois quando as ondas batem, a água fica com uma espuma que lembra bolhinhas de champanhe.

As piscinas acabam servindo de moradia para vários peixinhos e esponjas (mas são completamente à prova de tubarões hehehe), se tornando um dos melhores pontos para um mergulho em toda a ilha.

Nós ficamos nas piscinas por cerca de uma hora e pouquinho, mas ficamos com a sensação de quero mais, já que lá também foram servidos os sanduíches e frutas de almoço. Isso é o que menos gostamos em excursões, já que não temos flexibilidade para ficar nas partes que gostamos mais. Além disso, as piscinas estavam meio cheias, então caso você vá de carro, poderá esperar até que elas fiquem mais vazias.

Nós ainda paramos no Eli Creek de novo na volta, para tirar o sal do corpo e seguimos de volta para o hotel, onde trocamos de ônibus e seguimos de volta para Rainbow Beach. No ferry de volta para o continente ainda fomos surpreendidos por alguns golfinhos que fizeram questão de nos escoltar por algum tempo, antes de voltarem pras suas rotinas habituais!

Considerações

Fraser Island é definitivamente um destino que deve ser incluído no roteiro de quem viajar pela costa leste australiana. Se o tempo for curto, da até pra tentar ver a ilha em apenas um dia.

Se este for o seu caso (apenas um dia), foque em conhecer os Lakes McKenzie e Wabby, as Champagne Pools e o mirante de Indian Heads, parando rapidamente no Eli Creek na volta, para tirar o sal do corpo.

Se você puder, porém, durma uma noite por lá, para ver tudo com mais calma. Se você for acampar, fique dentro das áreas delimitadas para esse fim, que são cercadas para que os dingos não entrem atrás de comida, evitando ataques a humanos.

Depois de Fraser, nós paramos rapidamente em Rainbow Beach para buscarmos nosso carro e seguimos rumo ao norte, em direção à cidade de 1770, de onde sairíamos para conhecer nosso próximo paraíso na Austrália: Lady Musgrave Island.

Dica imperdível de Rainbow Beach

Em Rainbow Beach, nós nos hospedamos no Debbie’s Place (veja sua avaliação no trip advisor). A gente chegou já de noite e saímos bem cedinho pra ir pra ilha, mas adoramos! A dona (a Debby) é incrível, sempre disposta a ajudar os hóspedes. Ela se ofereceu pra nos levar até o ponto de encontro da empresa que nos ia levar pra Fraser, depois ligou pra eles nos buscar no hotel (que é uma casa anexa à casa dela) e deixou que a gente deixasse nosso carro estacionado lá enquanto estávamos na ilha. Além disso, ficamos em dois quartos impecáveis, com cozinha, sala, jardim com mesão, churrasqueira etc! Deu vontade de ficar um tempão por lá! Amamos!

linha pontilhada

Gostou desse post? Compartilhe com os amigos!
  1. Patricia lemos 15/04/2016

    Vc recomenda ficar quantos dias por lá? Um é suficiente? Ouvi falar que não pode mergulhar no mar pq tem Mt tubarão! Tenho medo! Heheh

    • Raquel Furtado respondeu Patricia lemos 18/04/2016

      Acho legal ficar dois dias por lá! O céu é incrível!
      E realmente, não é permitido entrar no mar

  2. Martha Rebelo 15/04/2016

    Muito legal, Raquel! Qual a melhor época do ano pra ir?