Como chegar e o que fazer em St Gallen, Suíça

Em janeiro de 2019 fiz uma viagem deliciosa de quase um mês pela Suíça. Dentre as cidades que visitei está St Gallen. Não entendo porque ela ainda não ficou famosa entre os brasileiros.

Meus 7 dias em Tromso + Aurora Boreal!

Nem acredito que realizei esse sonho: ver a Aurora Boreal <3! Foi tudo ainda mais mágico do que eu esperava. Quem acompanhou os posts e os stories no nosso Instagram durante essa minha viagem para Tromso em janeiro/2018...

Como chegar à Machu Picchu

Machu Picchu é um destino maravilhoso! Recomendamos muito que você reserve um espacinho na sua agenda para conhecer esse lugar especial. Machu Picchu representa...

Guia Fíji (dicas, índice de posts e perguntas frequentes)

É até difícil imaginar, mas Fíji é um país que recebe MUITOS mochileiros e viajantes mais econômicos! Acho que o marketing dos grandes e...

Estados Unidos muito além da Flórida e NY: Explorando o Oeste

Se você nos acompanha pelo Instagram, já deve saber que estamos passando 38 dias no oeste dos Estados Unidos, explorando Parques Nacionais e outros cantinhos naturais muito bem preservados pelos americanos. Estamos agora no Arizona!

Rio de Janeiro: Dicas, Roteiros, Segurança e mais

16 de agosto de 2019
0 comentários 741 visualizações
escrito por Raquel Furtado

Nesse artigo, divido com vocês um guia mega completo com dicas sobre o Rio de Janeiro <3. Morei na cidade por mais de 4 anos e a conheço muito bem. Inclusive, conheço aqueles cantinhos nem tão divulgados que farão da sua viagem ainda mais especial. E, claro, também aprendi muito sobre a segurança no Rio de Janeiro e compartilho essas informações aqui também. No mais, aproveitem. As dicas são pra vocês!!

Dicas Rio de Janeiro

Quem me acompanha por aqui ou pelo Instagram sabe que eu sou APAIXONADA pelo Rio de Janeiro <3! Tudo bem que existe a questão da segurança – que não vamos negar, é um problema real. Mas a cidade tem uma certa magia, sabe, é cheia de vida e o clichê que a cerca é mesmo verdade: O Rio de janeiro continua lindo. Se engana quem pensa que não dá mais pra visitar o Rio. Dá sim – você só precisa saber direitinho por onde andar, onde se hospedar, o que fazer e ter alguns cuidados básicos. Nada com que o brasileiro não esteja, infelizmente, bem acostumado. Falarei disso mais à frente. Eu recomendo pelo menos 5 dias inteiros no Rio de Janeiro – e nesse guia te mostro o porquê.

(você pode ler esse artigo na íntegra ou acessar a seção abaixo de seu interesse)


dicas de segurança
dicas sobre os bairros
dicas dO que fazer
dica de hospedagem e onde ficar
dicas de restaurantes e onde comer no rio de janeiro
DICA: quando ir ao rio de janeiro

 


SEGURANÇA

DICAS DE SEGURANÇA NO RIO DE JANEIRO

Achei melhor começar já começar logo esse artigo com esse tema um pouco polêmico: SEGURANÇA. Porque não te jeito: é só falar em viagem para o Rio de Janeiro que a tal pergunta aparece “Mas é seguro?”. Assaltos à mão armada, arrastões nas praias, uma crise que parece sem fim e um intenso tráfico de drogas fazem parte da realidade carioca. E não dá pra negar: a infelicidade desses fatos afasta os turistas. As revistas e jornais fazem cobertura de tristezas como essas 24h por dia – e o brasileiro é realmente bombardeado pelas tragédias no Rio de Janeiro.

Entretanto, como pontua muito bem Ricardo Freire, do blog Viaje na Viagem, “basta uma caminhada por Copacabana, Ipanema ou Leblon para perceber que há mais moradores de classe média caminhando na rua e usando a cidade (sem carros e fora de shoppings!) do que em qualquer outra metrópole brasileira.” E é verdade. O Rio de Janeiro é campeão em comércio de rua em bairros de classe média – e o movimento é enorme.

Como o próprio Ricardo pergunta, “Se o Rio é tão perigoso assim, por que tanta gente ainda está nas ruas?” Era exatamente assim comigo. Antes de me mudar de BH para o Rio eu não entendia essa incoerência. Seria mesmo seguro fazer coisas a pé? Caminhar com as minhas compras de lojas de roupa ou supermercados? Bastaria por o pé pra fora de casa que eu já estaria correndo perigo?

Bom, morar no Rio de Janeiro inclui, sim, adotar uma série de medidas de segurança. Visitar o Rio, também. Mas especialistas dizem que viajar para a capital carioca agora, pós olimpíadas, está menos inseguro que antes. Mesmo com a crise avassaladora e com o aumento da violência nos lugares mais violentos da cidade, o turista pode, nas áreas certas, caminhar mais tranquilo – ou menos tenso ;).

A Bolha do RJ

dicas rio de janeiro

Do meu ponto de visto de moradora, enxergava algumas situações realmente bem complicadas. Entrar em determinados túneis de carro, dirigir pela linha vermelha ou pegar ônibus eram algumas delas. Como turista, entretanto, você pode se dar ao luxo de evitar essas situações. E, como a gente brinca, conhecer o Rio numa bolha. É inclusive o que acontecia comigo: trabalhando de casa com o blog, sem filho para levar a escola e sem a necessidade de ir a áreas de risco, eu acabava vivendo na minha bolha de segurança na região de Ipanema e Leblon.

Essa bolha era impenetrável? NÃO. Aconteciam casos isolados de assaltados por aí também. Mas essa é a realidade do Brasil como um todo: não há um lugar, infelizmente 100% seguro. Medidas de segurança, como que falei acima, precisam MESMO ser colocadas em práticas por você.

É sobre isso que falamos agora:

Transporte Público no Rio de Janeiro

Eu evitaria pegar ônibus. Apesar de que eu, particularmente não precisava pegar ônibus, tenho diversos amigos que o fazem todos os dias. Muitos nunca tiveram uma situação desagradável se quer. Mas alguns já. E não apenas uma vez. Então, reforço: EVITE! Já o metrô, entretanto, é super seguro. De quebra, além de Ipanema e Leblon, ele te leva à Barra evitando o túnel – mais um ponto para a segurança. Eu não a linha de metrô no Rio de Janeiro tão eficiente quanto poderia ser, devido ao tamanho e à importância da cidade. Mas principalmente agora, com as obras pós olimpíadas, ele está muito bom. Deixo abaixo parte da linha de metrô para que vocês a conheçam. Destaquei a região da Lagoa, Ipanema e Leblon. Note, entretanto, que o trecho feito até o Jardim Botânico é de ônibus/metrô na superfície – o que, reforço, não recomendo. DICAS RIO DE JANEIRO: mapa do metro No mapa você também vê o VLT, sigla para ‘veículo leve sobre trilhos’. Ele é o nosso “bondinho”, que apesar de ter sido muito criticado no início (por ser meio lento) acabou trazendo bastante segurança para os deslocamentos no centro do Rio de janeiro.

Assaltos no Rio de Janeiro – e dicas importantes de segurança

Sim – o risco do turista ser assaltado no Rio existe. O mesmo existe em São Paulo, Vitória, Fortaleza, Porto Alegre, Salvador e até mesmo BH. Na capital carioca, talvez, a probabilidade de algo acontecer contigo possa ser maior. Já morei em BH e SP e foi apenas no Rio que vivenciei um assalto (roubaram meu colarzinho na praia, entre Ipanema e Leblon). Entretanto, meus pais já foram assaltados mais de uma vez em BH – e vários amigos em SP e Salvador.

O que vale dizer aqui é que assalto é um problema recorrente nas grandes cidades do Brasil. Então não deixe de visitar o Rio – com tanta coisa boa para oferecer – por um problema que também existe na sua cidade, sabe?

No Rio, algumas iniciativas de segurança estão fazendo a diferença. O programa Rio + Seguro foi implementado inicialmente em Copacabana e hoje estendido à Ipanema e Leblon. Temos mais policiais nas ruas e com isso alguns pivetes (que roubavam correntinhas, carteiras e celular) foram tirados de circulação. O resultado pode ser visto nas estatísticas. A notícia é de dezembro/18 e pode ser lida por assinantes do Globo.

Taxi x Uber

Com a chegada de aplicativos como Uber e 99 controlando trajeto dos taxistas, ficou mais fácil, barato e seguro utilizar esses serviços. Usei muito Uber no Rio e nunca tive problemas de segurança. A única situação desagradável que já peguei foi um motorista mega perdido, que não conhecia nem os nomes dos principais túneis da cidade.

Para aumentar o seu conforto no Uber, você pode preferir chamar um Uber Black. Mas completo: para determinados lugares no Rio, é MELHOR ir de taxi que de Uber. Muitos motoristas de Uber não conhecem bem a cidade e acabam seguindo – apenas – o GPS. Acho que não é novidade pra ninguém que o GPS pode te colocar em alguns locais perigosos ou ao menos suspeitos na capital. Caso você precise ir ao centro do Rio de Janeiro, ao Maracanã, à Santa Teresa ou a alguma outra zona próxima de áreas de risco, vá de táxi.

Dicas práticas: como se sentir mais seguro no Rio de Janeiro

Acho muito coerente tudo que leio no blog do Ricardo Freire, como mencionei acima. E sobre a capital carioca, ele tem um discurso que eu assino embaixo “O segredo para curtir o Rio é diminuir a sensação de insegurança”. Pra isso, listamos algumas medidas que você deve tomar. Por mais que pareçam exageradas (e provavelmente algumas são), elas vão te deixar mais relaxado. São pequenas precauções que COM CERTEZA diminuem riscos! DICAS PARA UMA VIAGEM MAIS SEGURA AO RIO DE JANEIRO

1Nada de andar na rua com celular na mão ou no bolso da calça de forma aparente. Se precisa consultar um endereço ou ver as horas no celular, o faça dentro de algum estabelecimento.
2. Apesar do Rio não ter tanto histórico de furtos e pickpockets (como na Europa), evite usar mochila pra trás ou bolsas abertas. Prefira bolsas trespassadas no corpo.
3. A hora de tirar foto e registrar sua viagem no Rio pode ser complicada. Evite “dar bobeira” com a câmera na mão. Leve-a em uma bolsa e só tire-a na hora de usar.
4. Essas são meio óbvias no Brasil, mas não custa reforçar. Nada de caminhar em lugares ermos. Evite andar a pé à noite, principalmente sozinho, em qualquer lugar. Espere seu Uber e táxi dentro do hotel ou estabelecimento em que estiver.
5. Tem correntinha de ouro, brinco muito brilhante ou qualquer jóia? Não use!
6. Eu evitaria sair com a carteira inteira e levaria apenas documentos básicos mais 1 cartão e trocados.
7. Eu também evitaria passeios nas comunidades/favelas. Ultimamente houve muito conflito e balas perdidas. E sabem o que dizem né? O seguro morreu de velho.
8. Se precisar sacar dinheiro, o faça em um dos caixas do Banco 24h dentro das estações de metrô.
9. Na areia da praia, você está, de certa forma, seguro. Arrastões são bem raros. Mas não deixe seus pertences sem supervisão para um mergulho no mar. E, mesmo próximo a eles, fique de olho.
10. Cuidado no calçadão. Eu evitaria dar bobeira no calçadão de Copacabana, no de Ipanema, na altura do posto 7 e 8 e entre Ipanema e Leblon (entre postos 10 e 11) onde está o Jardim de Alá. Alguns pivetes assaltam de bicicleta, então não ande tão próximo da ciclovia. 
11. Praia na Zona Sul: opte por curtir a areia e o mar do Leblon. Por ali você não tem comunidades próximas nem pontos de ônibus vindo da favela. Mas evite ficar próximo do Jardim de Alá.
12. Praia na Zona Oeste: Barra da Tijuca, da Reserva, Prainha e Grumari são ótimos destinos no quesito segurança. As duas últimas, inclusive, são lindíssimas.
13. Sobre deslocamentos a pé, fique atento! O ideal é sempre caminhar em ruas em que haja comércio. A Prudente de Morais, em Ipanema, por exemplo, é bem residencial e palco de alguns assaltos pontuais. Apesar de ser a rua onde eu morava, só entrava nela, a pé, quando chega no meu quarteirão, pela praia de manhã ou pela Visconde de Pirajá, à noite. O mesmo acontece no Leblon. Evite caminhar pela General San Martin e opte pela Ataulfo de Paiva – a continuação da Visconde em Ipanema.
14. Por fim, siga sua intuição. Se sentiu inseguro por algum motivo? Entre no estabelecimento mais próximo. Viu um tumulto diferente, saia logo da área em questão. Evite andar sozinho e circule por áreas mais seguras. Na praia de Ipanema e Leblon, eu recomendo que fiquem do posto 9 pra cima. E lembre-se das dicas que demos acima: use o metrô sem medo, evite ônibus e, em alguns casos, prefira taxi a Uber.

 

fim da tabela com dicas de segurança para o rio de janeiro

| Voltar ao índice |


BAIRRO A BAIRRO

DICAS SOBRE OS BAIRROS DO RIO DE JANEIRO

Queria dividir com vocês alguns detalhes e dicas sobre os principais bairros do Rio de Janeiro. A ideia é te ajudar a entender um pouco sobre cada um deles: o que esperar em relação às praias, lazer, gastronomia, hospedagens e segurança. Pra descontrair ;) – e porque até achei que fez sentido, rs – compartilho aqui uma brincadeira que rolou no facebook e em grupos de WhatsApp no início do ano sobre bairros cariocas: dicas dos bairros do rio de janeiro - pra descontrair E se os bairros do Rio de Janeiro fossem países? 

Laranjeiras seria HOLANDA Favorita da galera miçangueira que curte umas ervas.
Botafogo seria ALEMANHA Além de ser o grande centro empresarial da região, um de seus pontos fortes são seus bares, com muita oferta cerveja
Humaitá seria TURQUIA Apenas um caminho de um lado para o outro do mundo. Hoje perdeu seus atrativos por causa de tanta confusão.
Copacabana seria ITÁLIA Caótica, decadente, barulhenta, problemática e onde ninguém se entende, mas que todo mundo continua querendo conhecer.
Leme seria GRÉCIA Copacabana em escala menor, com a praia melhorada.
Ipanema seria ESPANHA Gente bonita, clima de festa, biquíni pequenino, beijo gay, curtição.
Leblon seria FRANÇA Esbanja intelectualidade com suas livrarias e vangloria-se da gastronomia, porém não esconde o ar de superioridade.
Barra da Tijuca seria ESTADOS UNIDOS Idolatrada pelos novos ricos. Sem identidade, longe de tudo, carro é fundamental. O sonho de todos que moram lá é se mudar para a Zona Sul.
Tijuca seria RÚSSIA Perdeu a nobreza de outrora, mas ainda é uma potência.Transição entre zona pobre e zona rica.
Recreio seria CANADÁ É rico, porém ninguém se importa. Vive na órbita do vizinho gigante (Barra).
Manguinhos, Bonsucesso, Alemão seria FAIXA DE GAZA, SÍRIA e AFEGANISTÃO Dispensam explicações.
São Cristóvão seria IRAQUE Já foi terra de príncipes e princesas, hoje parece Bagdá bombardeada.
Madureira seria ÍNDIA Caótica, superlotada, gente feia por todo lado, vaca na rua, mas dona de um valor cultural inestimável.
Vila da Penha seria ÁFRICA DO SUL Orgulhosa de ser a “nobre” no meio de sua sofrida região.
Brincadeiras à parte, vamos lá?

COPACABANA

Copacabana, ou apenas “Copa”, ainda é o bairro mais procurado pelos turistas internacionais. Na minha opinião isso é uma pena. Quem mora no Rio sabe que o bairro está decadente há anos e a segurança piorou muito. Extremamente turístico e superlotado, Copa acaba perdendo o charme que tinha antigamente. São 160.000 moradores compartilhando uma área de 8 km² – mais uma infinidade de turistas.

Copacabana se destaca como boa opção de hospedagem apenas por ter praia e preços mais acessíveis que Ipanema e Leblon. Hospedar-se em Copa realmente sai mais barato do que em Ipanema e também tem a beleza da praia. Mas se ficar por aí, atenção: o calçadão é point de pivetes em busca de correntinhas, celulares e bolsas. A av. Nossa Senhora de Copacabana, onde está uma grande concentração de comércio, tem cada vez mais moradores de rua. É verdade que a operação Rio + Seguro melhorou MUITO segurança do bairro. Mas ainda assim existem problemas. Para ficar bem localizado eu recomendo fugir do coração do bairro. Opte pelos hotéis nos extremos, próximos a Ipanema ou Leme.

LEME

O canto esquerdo de Copa é um bairro autônomo chamado Leme. Esse é o ponto mais bucólico de Copacabana. Infelizmente o metrô não tem paradas ali, mas como falamos, andar de Uber ou Táxi também é seguro. O Leme é considerado calmo e acolhedor; e a praia, bem convidativa.

IPANEMA

Ipanema é o bairro mais charmoso da Zona Sul, com o equilíbrio ideal entre despojamento e sofisticação. Para quem ama praia e gosta de fazer tudo a pé, essa é uma excelente escolha de local para se hospedar! Ipanema conta com toda a infraestrutura que o visitante procura: bares, restaurantes, transporte fácil e uma das praias mais lindas e famosas da cidade.

Amo, amo Ipanema. Nas fotos abaixo você me vê passeando com Paçoca!

O bairro tem o segundo metro quadrado mais caro do Rio – e, se não me engano, do Brasil – (perde apenas para o vizinho Leblon). Esse fato reflete não apenas no preço de hospedagens, mas também dos serviços do bairro, como restaurantes, barquinhas de praia e por aí vai.

Vibe de Ipanema

Ipanema respira vida saudável. Por ali você encontra várias casas de sucos naturais, restaurantes veganos e vegetarianos, bowls, mercadinhos etc, principalmente nas alturas do posto 9 e 10. Na praça N. Sra da Paz, às terças-feiras, há ainda uma feira de orgânicos. Ipanema é também bastante conhecido como reduto da comunidade LGBT, com atrações que buscam cativar este público – principalmente nas proximidades da rua Farme de Amoedo.

LEBLON

Seguindo por Ipanema pra esquerda, de costas pro mar, você encontra o bairro mais requintado do Rio. O Leblon é dividido em dois bairros: Leblon e Alto Leblon (uma parte mais residencial, subindo uma ladeira depois da Avenida Visconde de Albuquerque). O bairro tem uma praia linda (é a extensão de Ipanema, logo após o canal entre os postos 10 e 11), restaurantes excelentes, bares deliciosos como o tradicional Belmonte, shopping e tudo mais. Como novidade, tem agora um dos meus hotéis preferidos no Rio, o Janeiro Hotel. Passei duas noites por lá em set/2019 e me apaixonei. Como está no Leblon – e claro, com a qualidade que oferece – o preço das diárias é alto, mas vale quanto pesa.

Praia no Leblon

A praia do Leblon é menos lotada e mais familiar. Um pouco mais segura, também.

dicas rio de janeiro: bairro Leblon

A rua Dias Ferreira é o mais longo corredor de restaurantes da cidade, e o calçadão da praia tem os quiosques mais sofisticados da orla da Zona Sul. No final na praia, você encontra o Morro Dois Irmãos, um cartão postal do Rio de Janeiro. Olhando pro morro, você vê a favela do Vidigal, e logo atrás dela, está a Rocinha. A Favela do Vidigal é pacificada e recebe muitas visitas, tanto por parte daqueles que querem fazer a trilha Dois Irmãos ou daqueles que vão ao famoso Bar da Laje, no alto do morro. Acho tranquilo – se quiser, pode ir :)!

Em comparação com Ipanema, ele tem uma densidade significativamente menor de turistas.  O porquê é simples: o bairro é mais residencial e tem poucos hotéis.

BOTAFOGO

Botafogo entra nos roteiros dos turistas por ser via de acesso ao Pão de Açúcar. Mas ele tem muito mais a oferecer. Super importante para a gastronomia no Rio de Janeiro, há ali até um renomado pólo gastronômico, formado por bares e excelentes restaurantes. O estrelado Lasai e o Irajá fazem parte da cartela de opções da região. Os bares da Voluntários da Pátria também não deixam a desejar – e têm um ar bem semelhante à Lapa. Eles costumam ficar bem cheios nos finais de semana.

Uma dica de hospedagem em Botafogo é escolher um dos hotéis de frente para a baía e quem saber ter uma janela com vista para o Pão de Açúcar. Tenho uma amiga que mora ali e a paisagem é realmente de tirar o fôlego.

FLAMENGO

Flamengo é um bairro predominantemente residencial. Ele dispõe de uma grande avenida ao longo do Aterro do Flamengo que é famosa por fechar aos domingos – dando espaço para ciclistas, corredores e skatistas!

JARDIM BOTÂNICO

O bairro, além de contar com o Jardim Botânico do Rio de Janeiro – que lhe garante o nome – tem bares e restaurantes deliciosos. Ali pertinho está o Horto – que é um charme à parte e merece sua visita. O Jardim Botânico está bem próximo das melhores praias da Zona Sul (Ipanema e Leblon), da famosa Lagoa Rodrigo de Freitas e das cachoeiras do Horto.

SANTA TERESA

Localizado no alto de uma serra entre a Zona Sul e o Centro do Rio, Santa Tereza dispõe de uma vista privilegiada. Os visitantes que buscam charme, gostam de uma viagem sem pressa, e não precisam estar próximos à praia amam esse bairro. Europeus marcam presença nas muitas opções de hospedagem da região. A grande maioria é bem autêntica e tem um estilo bed & breakfast de luxo (como a vila Chez Georges que eu amo). Ao sair na rua, tome os mesmos cuidados que você tomaria em todo o Rio, mas principalmente no calçadão de Copacabana. Eu evitaria passear a pé por Santa Teresa à noite.

LAPA

Tem o Bar da cachaça, Bar da Nalva, Rio Scenarium, Escadarias Selarón e muito mais. A Lapa encanta os turistas com sua autenticidade e é cheia de vida! Durante o dia, entretanto, não é dos lugares mais seguros do Rio. É uma opção de hospedagem para quem quer curtir a noite carioca e economizar. O único porém da Lapa para uma viagem econômica é a falta de metrô. O bairro também não é atendido pelos frescões que vêm do Galeão.

JOÁ

Acho que muita gente não ouve falar sobre o Joá. Ele é o menor bairro de todo o Rio de Janeiro. Encravado numa região montanhosa entre São Conrado e Barra da Tijuca, algumas pessoas o chamam de Beverly Hills do Rio (por causa dos casões que existem ali). Essa é uma área nobre, com a menor densidade populacional de todo o Rio de Janeiro. A região é ideal para que quer alugar uma casa com vista maravilhosa. Note, entretanto, que não há QUALQUER tipo de comércio. O bairro é como um grande condomínio de casas. A 10 minutos, entretanto, está o Fashion Mall. E a praia Joatinga – uma das minhas preferidas e uma maravilhosa dica do Rio de Janeiro. Se você quiser se hospedar por lá, o hotel La Suite by Dussol faz muito sucesso com os viajantes.

SÃO CONRADO

Com as confusões que andam ocorrendo na Rocinha, a favela logo em frente, está complicado se hospedar em São Conrado. Eu também não recomendo a praia. São Conrado é apenas um bairro de passagem – mas que te garante um visual lindo.

BARRA DA TIJUCA

A chegada do metrô definitivamente aproximou a Barra da Zona Sul e a deixou mais atraente para os visitantes. Eu acho a Barra da Tijuca curiosa: apesar de não ter muita autenticidade, eu gosto da praia (principalmente pra surf) e da parte gastronômica. Gosto ainda mais das praias que seguem mais adiante, como Grumari e Prainha. Um ponto negativo  é a distância entre pontos de interesse na região. Eu diria que por lá você precisa de carro (ou Uber) pra praticamente tudo.

| Voltar ao índice |


 

ROTEIRO

O QUE FAZER NO RIO DE JANEIRO 

Essa lista é loooonga então te recomendo ler nosso post O que fazer no Rio de janeiro para ver todas as nossas sugestões!

Deixo aqui, entretanto, as mais especiais :)

Vôo de helicóptero para ver o Rio de cima

A Vertical Rio oferece uma das experiências mais incríveis – da minha opinião – no Rio de Janeiro: um vôo de helicóptero, sem portas, pelos cartões postais da cidade. O valor é R$690 por pessoa, para um vôo de 30 minutos. Vale MUITO!

Eles levam a segurança super à sério, então pode ir tranquilo. Eu jamais teria feito o vôo se não fosse assim.

Praias Selvagens da Barra de Guaratiba

Sim – o Rio de Janeiro também tem praias mais isolados e com menos turistas. Te recomendo muito dar um pulinho na Prainha ou em Grumari. Se você tiver tempo e gostar de caminhada, pode fazer a trilha até as praias selvagens também. Todas está depois do Recreio, seguindo pela praia. A trilha que inclui a Praia do Inferno, Praia Funda, Praia do Meio, Praia do Perigoso e Pedra da Tartaruga tem em torno de 8km. Se você quiser se hospedar na região, indico o Le Relais de Marambaia. O hotel é pequenino e super charmoso. Nunca dormi lá mas já passeio o dia e adorei!

Mirante Dona Marta

Vá ao Mirante Dona Marta ver a vista! Lá de cima você vê o Pão de Açúcar, a baía de Guanabara e o Cristo. O mirante fica na Estrada das Paineiras, a mesma que vai para o Corcovado. Vá de carro, de preferência bem cedinho ou no por do sol.

Note que algumas pessoas não recomendo muito esse passeio por motivos de segurança no trajeto. Eu achei bem tranquilo e tenho amigos que vão até lá frequentemente para fotografar.  Claro, tenha em mente todas as dicas de segurança que já te demos. Se for sem carro próprio (de taxi ou Uber) tente negociar uma tarifa para que ele fique por lá te esperando.

Pedra Bonita

Minha trilha preferida do Rio de Janeiro. Vista surreal e subida leve e rapidinha! Você consegue ir de carro até bem pertinho da rampa, onde acontecem os saltos de parapente e asa-delta. Inclusive, se você gostar de atividades mais “radicais”, fica aí mais uma dica pra você!

Praia da Joatinga

Poucos turistas a conhecem, mas na minha opinião é uma das mais bonitas da cidade. A Praia da Joatinga está dentro de um condomínio no Joá, mas a entrada é livre para quem vai à praia. Note que o celular não pega muito bem por ali, então chamar um Uber na volta pode ser complicado. Se for de táxi, o ideal seria deixar agendado um horário para voltar.

Também é possível ir de ônibus. Você só precisará caminhar um pouquinho – basta colocar no Google Maps para ver o trajeto. Mas reforço que, por motivos de segurança, recomendo evitarem ônibus no Rio, infelizmente…

Vista Chinesa

A subida até lá vale a pena: a vista é linda! Uma dica para quem gosta de bike é fazer o trecho todo de bicicleta. É puxado (subida intensa) mas muitos cariocas o fazem.

Jardim Botânico

Passeie pelo Jardim Botânico e depois tome um café no La Byciclette que fica lá dentro. Uma delícia!

Parque Lage

O lugar é lindo, o acesso gratuito e você pode fazer um piquenique por ali. Recomendo!

Mureta da Urca

Recomendo muito esse programinha relax na hora do por do sol. Compre um pastel e uma cervejinha e sente-se na mureta do Bar Urca. O clima é super agradável e você não vai se arrepender de ter seguido essa dica.


 

HOSPEDAGEM

ONDE FICAR NO RIO DE JANEIRO

Já temos aqui no blog um guia mega-ultra-hyper completo sobre hospedagem no Rio de Janeiro que eu te recomendo MUITO ler: Onde ficar no Rio de Janeiro – Guia de Hospedagem.

De qualquer forma, vou destacar aqui algumas das minhas principais recomendações ;-)

use nossos links do blog! ganhamos uma pequena comissão

Ipanema

Meu bairro favorito para hospedagem na capital carioca é Ipanema. E acho que essa é uma das mais valiosas dicas do Rio de Janeiro. Recomendo Ipanema principalmente para quem tem poucos dicas na cidade. Se você tem mais dicas, uma sugestão legal é combinar Ipanema com outra região, como Santa Teresa (se você curtir a proposta do bairro), Joá ou mesmo a Barra.

Ipanema é de certa forma um bairro seguro (principalmente na altura do posto 8 pra cima), tem uma praia linda e muitas opções de restaurantes e comércio. Você consegue fazer muita coisa a pé e ainda tem várias entradas para o Metrô caso queira explorar outras partes da cidade.

dicas rio de janeiro: ipanema

Por lá eu recomendo o Mar Ipanema que tem um preço super justo e excelente localização (eu mesma já me hospedei lá uma vez) e o Ipanema Inn – pelos mesmos motivos. Pertinho da N. Srª da Paz  está o Promenade Visconti onde também já me hospedei quando meu apartamento estava reformando. Eles aceitam cachorros (ponto pra eles!) e têm boas acomodações. O serviço é super profissional. O antigo Caesar Palace, que agora é Sofitel tem quartos com uma vista de babar para a praia. O Fasano, claro, pra quem puder investir $$$, é uma boa dica principalmente pelo rooftop mais desejado do Rio – mas recuse os quartos do fundo porque aí não vale o investimento. Deixe claro que é com vista ou nada feito! O Sol Ipanema é um excelente beira-mar próximo ao Posto 9 com um preço mais amigo que as duas opções acima.

Para economizar

Pra quem quer economizar tem o albergue novinho El Misti Ipanema, bem-localizado na Joana Angélica, a uma quadra da praia e da da estação Nossa Senhora da Paz do metrô. Tem quartos coletivos e privativos, também. Outra opção é a Pousada Bonita na Barão da Torre, pertinho da General Osório. Nem todos os quartos têm ar condicionado.

Leblon

Já no Leblon, recomendo o recém inaugurado JANEIRO hotel – que era o antigo Marininha e passou por uma reforma incrível. As diárias não são baratas, mas o hotel está incrível e vale quanto pesa. Afinal estamos falando do bairro com o metro quadrado mais caro do Brasil. Eu simplesmente AMEI os meus dias ali e pagaria de novo. Escolhi a categoria OceanFront Suite. Um sonho!!!!

Santa Teresa

Já em Santa Teresa eu recomendo o Mama Shelter, o Chez Georges (onde já me hospedei algumas vezes, mesmo morando no Rio), o Hotel Santa Teresa (onde já me hospedei também!) ou o Mama Ruisa. É uma ideia excelente terminar sua viagem com uma hospedagem de 1 ou 2 dias nesse bairro. Valiosa dica do Rio de Janeiro essa, hein? :) Vai por mim!

hospedagem rio de janeiro: chez Georges

Dicas de hospedagem em Copacabana, Botafogo e outros bairros da cidade você encontra no nosso Guia de hospedagem no Rio de Janeiro.

| Voltar ao índice |

 


RESTAURANTES

ONDE COMER NO RIO DE JANEIRO

Nós também temos um post super lido, elogiado e adorado pelos internautas com nosso ranking pessoal dos melhores restaurantes do Rio de Janeiro. Recomendo a leitura, claro <3!

Mas vou deixar também alguns lugares que adoro – e que não são tão requintados quanto os do post acima. Espero que gostem também dessas dicas do Rio de Janeiro <3!

Em Ipanema…

Em Ipanema eu amo comer no Pici e no Nosso, ambos ao lado da praça N. Sra da Paz. Zazá Bistrô também é uma delícia! O Gurumê é meu restaurante japonês favorito de Ipanema também. O açaí do Polis Sucos é excelente – e os sanduíches também. Ainda em Ipa, adoro almoçar no Empório Jardim.

No Leblon

No Leblon vou sempre no Casa Graviola e para beber um suco, ou fazer um lanche, vou no BB Lanhes.

Em Botafogo

O Irajá, em Botafogo, é meu queridinho. Por ali – e vegetariano – tem o Naturalie Bistrô, uma delícia. Para um self service rápido e de qualidade, eu recomendo o Ekko’s Gastronomia.

E no Jardim Botânico

Também adoro o Prana Cozinha Vegetariana, no Jardim Botânico.

Pizza no Rio de Janeiro

Para comer pizza, eu recomendo o Ella, o Stravaganze Pizzaria ou o Mamma Jamma. 

Café da manhã

Amo o café da manhã no Da Casa da Tata, na Gávea. E a Confeitaria Colombo no Forte de Copacabana também é uma pedida super tradicional.

| Voltar ao índice |

 


 

QUANDO IR

QUANDO IR AO RIO DE JANEIRO

Não tem época ruim, o Rio é um destino para o ano inteiro. Simples assim :)!

dicas rio de janeiro: quando ir

Mas vou explicar rapidamente as características das estações do ano na cidade pra você escolher sua época preferida. Bom, é no verão que tudo acontece e que o mar fica tipo Caribe – mas o calor pode ser muuuito intenso. Quem mora no rio gosta de fugir na cidade nessa época.

Já o inverno traz dias mais frios (pouco, né! hehe), mas lindos e noites bem agradáveis. Claro que pode entrar uma frente fria e você pegar chuva e alguns dias mais gelados – mas no inverno normalmente dá praia!

Primavera e Outono são ótimas épocas para turistar e passear pela cidade.

| Voltar ao índice |

 

E assim, o nosso guia com dicas do Rio de Janeiro chega ao fim

Mas e aí? Você já esteve no Rio de Janeiro? Tem alguma dica de viagem pra incluir aqui? Deixe também suas dúvidas ou sugestões nos comentários – vou adorar conversar com você!   fim do conteúdo do post

Para ver mais dicas e poder acompanhar em tempo real minhas viagens…

Que tal seguir o Vamos nas redes sociais? =)
instagram tem atualizações diárias das minhas andanças pelo mundo e é meu principal canal de interação com vocês! A página no face tem fotos, dicas e links dos principais posts aqui do blog.
Já o YouTube tá aí pra que vocês me conheçam melhor e acompanhem a emoção que é viver de blog, explorando o mundo mês a mês!
Ah, e não se esqueça de adicionar nosso FACILITADOR DE VIAGENS nos seus favoritos. Nele você encontra links para diversos sites que uso no planejamento de nossas viagens (tem site de aluguel de carro, de apartamento, de identificar o melhor assento do avião, de conversão de moedas, etc.). Tudo de confiança, que funciona e que eu uso MESMO! Adicione também a nossa seção de DESCONTOS. Um dia você pode precisar – e um descontinho nunca é demais :)
beijos e voa viagem, raquel Furtado, VamosPraOnde

Gostou desse post? Compartilhe com os amigos!