185
roteiros
124
cidades

Como chegar e o que fazer em St Gallen, Suíça

Em janeiro de 2019 fiz uma viagem deliciosa de quase um mês pela Suíça. Dentre as cidades que visitei está St Gallen. Não entendo porque ela ainda não ficou famosa entre os brasileiros.

Meus 7 dias em Tromso + Aurora Boreal!

Nem acredito que realizei esse sonho: ver a Aurora Boreal <3! Foi tudo ainda mais mágico do que eu esperava. Quem acompanhou os posts e os stories no nosso Instagram durante essa minha viagem para Tromso em janeiro/2018...

Como chegar à Machu Picchu

Machu Picchu é um destino maravilhoso! Recomendamos muito que você reserve um espacinho na sua agenda para conhecer esse lugar especial. Machu Picchu representa...

Guia Fíji (dicas, índice de posts e perguntas frequentes)

É até difícil imaginar, mas Fíji é um país que recebe MUITOS mochileiros e viajantes mais econômicos! Acho que o marketing dos grandes e...

Estados Unidos muito além da Flórida e NY: Explorando o Oeste

Se você nos acompanha pelo Instagram, já deve saber que estamos passando 38 dias no oeste dos Estados Unidos, explorando Parques Nacionais e outros cantinhos naturais muito bem preservados pelos americanos. Estamos agora no Arizona!

Torres del Paine: A trilha para a Base das Torres

17 de Maio de 2019
18 comentários 6675 visualizações
escrito por Raquel Furtado

Já estive duas vezes na Patagônia Chilena para explorar Torres del Paine, um destino pelo qual sou apaixonada <3! A primeira foi no verão de 2014; a segunda, agora em maio de 2019. Em ambas, aproveitei para fazer o passeio que é o cartão postal do Parque Nacional: a caminhada à Base das Torres. É um percurso puxado – não dá pra negar. Se hospedando em algum dos hotéis da região, é preciso fazer uma caminhada ida-e-volta, que marca em torno dos 20-23km! Foi o que fiz as duas vezes – e essa a experiência que divido nesse artigo.

É possível, ainda, visitar a Base das Torres durante um dos hikes famosos do parque, como o circuito W e o circuito O. No Guia de Torres del Paine eu explico sobre ambos.

Base das Torres Del Paine

Em 2014, no verão, esse era o dia mais esperado da viagem. Conhecer a Base das Torres del Paine era um sonho antigo. Em 2019, confesso, havia um certo receio. Era maio – final do outono – temperatura marcando 3 graus, expectativa de neve na trilha e a incerteza de encontrar um clima estável (e seco) ao longo do trajeto. A dúvida “será que vale a pena o esforço nessa época do ano” passava constantemente pela minha cabeça. Mas ainda bem que o pensamento não me desanimou.

Contrariando expectativas, enquanto no verão cheguei na Base das Torres com muito, muito vento, baixíssima temperatura e uma espécie de chuva/neve incômoda, em meados de maio alcancei a base sem jaqueta, debaixo de sol e de um céu azul inacreditável!

Bom, mas vamos lá. A beleza toda desse cartão postal é, além da formação única das 3 Torres del Paine, o lago de tom verde azulado que se formou há aproximadamente 70 anos devido ao degelo das montanhas. Vale cada segundo de esforço pra chegar ali!

Trajeto à Base das Torres del Paine (ida e volta desde um hotel)

A trilha à Base das Torres é o hike mais intenso dessa parte do Parque Nacional. Saindo de um dos hotéis da região (como o Tierra Patagônia, onde me hospedei e amei, o Explora, Hotel Las Torres ou ainda o Ecocamp, que também já conheci) são em torno de 20-21km ida e volta. A elevação marca os 700-800m. Começamos a caminhar numa altitude aproximada de 100m e chegamos a 870m.

O percurso é puxado, mas vimos pessoas de mais idade e até pais com crianças nas costas fazendo a caminhada – ousado! rs. É difícil, é! Mas não impossível se você respeitar o seu ritmo e trabalhar bem a sua mente. Minha dica, entretanto, é que você vá preparado!

No instagram do VamosPraOnde você encontra um vídeo com toda a nossa experiência em 2019, em que detalho a chegada em Torres del Paine, mostro um pouquinho do Hotel e SPA Tierra Patagônia e divido com vocês a caminhada completa até a Base das Torres. Clique aqui para acessar o video. Modéstia à parte, tá fofinho e completo ;)!

Como é a trilha para a Base das Torres

Do Ecocamp, em 2014, saímos já caminhando desde o hotel. Do Tierra, em 2019, saímos de van e seguimos por cerca de 40 minutos até o Hotel Las Torres, que marca o início da trilha.

Primeira metade – rumo ao Refúgio Chileno

Desde esse ponto inicial, começamos com uma caminhada leve em curto trecho plano e depois seguimos subindo. Praticamente o tempo todo, logo atrás da gente está o lago Nordenskjold, deixando o visual ainda mais incrível.

Abaixo, vocês têm uma ideia da vista. (A foto entretanto foi tirada no retorno, rumo ao hotel – mas a ida acontece pelo mesmo caminho)

outono na trilha à base das torres del paine

Foto tirada no outono, em maio/2019

Ao marco de aproximadamente 2km, começamos a subir bastante. Nossa caminhada em maio/19 teve início às 9:20h e às 10:40h estávamos a 350m de altitude, no ponto mais alto da primeira metade da trilha, marcando 40% do trajeto. A vista ali é maravilhosa: um vale lindo com um rio passando lá embaixo. Com o esforço, o calor foi intenso e colocamos o gorro e o casaco mais pesado na mochila.

A dica aqui é se vestir em camadas e ter uma mochila para guardar as roupas que não vai precisar em alguma parte do trajeto, mas em outra sim. Leve também uma blusa limpa, um casaco extra e uma meia nova para trocar ao chegar na base. Nada como uma roupinha sem suor para a sua descida.

Esse trecho costuma ter BASTANTE vento. No verão, quando eles chegam com mais intensidade, a caminhada por aí é até perigosa. Sem exageros, o vento chega a derrubar pessoas.

Desse ponto, há uma breve de descida e depois de 4,2km ao todo chegamos no Refúgio Chileno.

O refúgio é uma área de hospedagem e camping com excelente estrutura – banheiros, lanchonete, etc. No verão, o ele funciona normalmente, disponibiliza algumas poucas camas para aqueles que querem pernoitar no parque e vive cheio. Em maio, ele fecha – e só reabre em novembro se não me engano. Isso significa que não é possível usar a estrutura do abrigo, mas a área de camping, teoricamente, segue disponível (e até de graça – pois não haverá ninguém pra te cobrar, rs). Vimos duas barracas de camping nessa área em maio.

Até aí, é possível fazer o trajeto à cavalo (os quais pertencem ao Hotel Las Torres – e é com eles que você deve agendar o passeio se tiver interesse). É muito provável que eles passem por você no caminho, pois também são responsáveis por levar suprimentos para o Refúgio. Essa opções só está disponível na alta temporada (novembro a abril).

Segunda metade – rumo à Base das Torres

Ficamos no refugio alguns poucos minutos fazendo um lanche para recuperar as energias. Normalmente os hotéis disponibilizam snacks (frutos secos e chocolate) para essa parte do trajeto. Ainda faltam 500m de subida e 4km de caminhada intensa desde esse ponto.

Se você estiver fazendo o Circuito W ou O, provavelmente vai pernoitar aí e começar a trilha rumo à Base das Torres desse ponto, no dia seguinte.

Seguimos então por uma parte razoavelmente tranquila e muito bonita, como um bosque (cujas cores no outono são impressionantes). Depois, é subida que não acaba mais.

Primeiro subimos alguns lances como degraus, feitos de tronco em meio ao bosque. Depois inicia-se uma parte estreita e bem íngrime, com bastante pedra no caminho. Finalizamos essa parte aproximadamente 3 horas depois do Refúgio Chileno. E aí, quando as pernas já quase pedem arrego, começa a parte mais final – e a pesada da trilha. Subimos cerca de 1 hora pelas pedras. Não há “chão de terra batida”, mas pedras e mais pedras. Seguimos assim até alcançarmos uma pedra grande, onde ao contorna-la vemos finalmente o lago azul e a base das torres.

Aí é sé comemorar, lanchar (os hotéis também preparam sanduíches e os guias costumam levar sopa e frutas), apreciar a vista e descansar. Mais 4 horas de descida ainda te separa do seu hotel. Se você estiver fazendo um dos circuitos, entretanto, provavelmente caminhará por menos tempo, rumo ao Refúgio Cuernos.

base das torres del paine

 

Nossa experiência na trilha à Base das Torres (informações sobre o clima)

Desde o Ecocamp, em 2014, no verão

Acordamos no EcoCamp com um dia incrível: praticamente não havia nuvens, o sol brilhava forte a temperatura estava ótima. Tomamos o café da manhã, preparamos nosso ziplock com almoço e lanche para a trilha e seguimos a pé direto do hotel com nossa guia.

Caminhamos e logo já estávamos morrendo de calor! Tiramos os casacos e corta vendo e seguimos de camiseta curta.

Cerca de 4 horas depois do início da caminha, chegamos na Base das Torres, já com muita chuva e muito frio. O tempo havia virado! As nuvens encobriam as torres e aquele dia incrível de poucas horas atrás já não existia mais.

base das torres

Encontramos uma grande pedra para fazer de abrigo e por lá almoçamos torcendo para que a chuva parasse e que as nuvens nos permitissem ver pelo menos um pouquinho daquele lindo contraste do lago azul com as Torres ao fundo. E cerca de 20 minutinhos depois, não havia mais chuva, as torres não estavam tão encobertas e nós tivemos o privilégio de (por uns 3 minutos talvez) ter o lago só pra gente até que os outros turistas saíssem de seus “abrigos improvisados” e chegassem no local para fotografar. O frio ainda era intenso, estávamos a cerca de 880m de altura.

Depois de admirar bastante o local, começamos nossa descida. Pegamos mais um pouquinho de chuva, mas nada que atrapalhasse o trajeto.

Já no Refúgio Chileno comemos mais um sanduíche, nos livramos da capa de chuva e seguimos caminhando. Ao passar pelo estreito caminho do vale, começamos a ver o lago Noordhejst lá embaixo, o que deixou o trajeto bem mais bonito e tranquilo para retornamos – fazendo algumas pausas para fotos também (que acabavam sendo desculpas para a gente descansar um pouquinho!).

Chegando no Ecocamp

O dia já estava lindo novamente, e caminhamos até o hotel sob muito sol; mas bastou chegarmos em nosso domo para a chuva aparecer de novo. É.. em Torres del Paine o tempo é realmente imprevisível. O bom foi que acabamos sendo presenteados com um arco-íris bem em cima do EcoCamp!

IMG_0422

Era a nossa última noite de drinks, aperitivos e daquele jantar delicioso. Conhecemos o novo grupo que havia chegado, conversamos um pouco e jantamos, nos despedindo do Ecocamp, dos guias, dos novos amigos, dos vinhos e daquele ar de liberdade e segurança que a região nos apresentou de forma muito prazerosa. Nossa vontade era ficar cerca de 5 dias por lá (e não apenas 3 noites). Gostaríamos de fazer o programa Multi Sports, experimentar o circuito W com o apoio do Ecocamp, conhecer o Glaciar Grey e muito mais. Mas tudo bem, são só motivos para voltar – ainda há muito para ver em Torres del Paine.

Desde o Tierra Patagônia, em 2019, no outono (maio)

 

 

 

 

Gostou desse post? Compartilhe com os amigos!

  1. bruno 27/08/2017

    sobre o trecho que pode ser feito a cavalo. como posso reservar?

  2. Tatiane 30/08/2016

    Olá, adorei o seu roteiro!!! De tudo que já pesquisei, foi o que mais me identifiquei e me encorajou.
    Só gostaria de saber os valores que vcs gastaram na viagem…
    Obrigada ppor compartilhar e dar dicas ótimas!!!

  3. Milene 29/04/2016

    Olá que calça você usou?
    Obrigada!

  4. Jacqueline 26/02/2016

    Sigo você no Instagram, mas entrei no blog hoje pela primeira vez.
    Adorei seu relato e os detalhes das trilhas e me interessei muito por esse destino. Queria saber se tem possibilidade de fazer essas trilhas de outra forma que não seja caminhada por 20km. Gosto de caminhadas, mas achei essas bem pesadas.

  5. Aline Rodeiro 22/07/2015

    Oi Raquel, estou indo em setembro fazer a maratona de Torres de Paine, ele disponibilizaram alguns hotéis. Fiquei encantada com o Ecocamp. Mas, as instalações são boas, e as refeições estão inclusas?
    Grata Aline

    • Raquel Furtado respondeu Aline Rodeiro 22/07/2015

      Oi Aline!

      O Ecocamp é disparado um dos hotéis mais incríveis que já conhecemos. Gostamos tanto que até montamos um Mochilão Chique em parceria com eles para facilitar a venda de hospedagens aos brasileiros (uma vez que hoje, pelo site deles. é necessário fazer depósito – taxas altíssimas pra gente – ou pagar com o cartão de crédito – eles cobram uma taxa e ainda tem nosso IOF).

      Se você quiser saber mais, me manda um email contato@vamospraonde.com que te mando o folder dessa “parceria”.

      Respondendo às suas perguntas:
      As instalações não são de luxo convencional, mas são de luxo mochileiro – o domo suíte é maravilhoso, com banheiro excelente, cama extremamente confortável e super aquecido. Mas não há banheira.. essas coisas.
      Todos os passeios e refeições são incluídas. Você não gasta com mais nada – nem com o transporte de e pra o aeroporto em Punta Arenas. Até o vinhozinho à noite está incluído!!

      O ecocamp tem um programa especial para essa Maratona. Tem até uma leitora aqui do blog indo também!
      Me escreve! te explico tudinho! Você vai amar!!

      Um beijo!

      • Daiane respondeu Raquel Furtado 08/08/2016

        Raquel, me interessei pela parceria de vocês, ainda existe? Vou lhe enviar um email.

  6. Waldemar 22/02/2015

    Ótimos relatos Raquel parabéns !! Estou pensando em fazer Torres del Paine e ficar em Puerto Natales,você indica alguma agência para os passeios ? E sabe dizer se posso fazer todos a partir de Natales ?

    • Raquel Furtado respondeu Waldemar 05/03/2015

      Oi Waldemar, eu indico a Cascada Expediciones (a que organizou minha viagem ao Ecocamp) Acredito que eles possam te ajudar!

      link: http://www.cascada.travel/br

      Puerto Natales não é assim tão perto para fazer todo dia um bate-e-volta. Normalmente-se gasta-se 12h na trilhas.. então não daria tempo. Mas alguns passeios dá pra fazer sim!

  7. Gillian 19/02/2015

    – na trilha para a base das torres, o guia acompanhou vcs a trilha inteira? está incluso no preço da diária?
    – Durante a chuva, continuaram caminhando?
    – Podia nos ajudar sobre oq levaram nas mochilas durante as caminhadas, bem como as roupas indicadas para esses percursos.

    Parabens pelo site!
    :)

    • Raquel Furtado respondeu Gillian 20/02/2015

      Oi Gillian,

      Obrigada :)

      – sim, o guia está incluído na diária do Ecocamp e nos acompanha o tempo todo!! seguindo nosso ritmo.
      – caminhamos durante a chuva sim! porque queríamos chegar logo! hehe a chuva só apertou mesmo na reta final, subindo as pedras paga chegar na base. Lá nos escondemos embaixo de uma pedra grande e comemos nosso lanche/almoço. A guia foi uma fofa, falando pra gente continuar lá em cima que o tempo ia abrir.. que ela não tinha pressa pra voltar!
      – nós levamos casaco corta vento e impermeável (eu levei ainda um casaco capa de chuva que vai até o joelho, mas é bem fininho e leve), casaco quentinho, casacão, segunda pele fininha e uma camisa normal. eu caminhei de top por baixo da blusa pra ser mais confortável. meia de trilha, bota ou tênis impermeável, repelente e protetor solar. boné, chapéu e gorro também são boas opções! pode parecer coisa demais, mas os casacos variados é bom mesmo levar, pois o tempo muda muiiiito! e com tantos kms de caminhadas e subidas de repente faz muito calor, então uma blusinha leve ajuda demais! O gorro ajuda o vento na orelha e o boné o solão forte que pode fazer! Levamos muita água! frutas secas e castanhas (oferecidas no hotel) e sanduíches para o almoço. e máquina fotográfica, claro! ;)

      Beijo!!

  8. Ariane 31/01/2015

    Oiiii Raquel! Amei essa viagem de vocês.
    Olha se eu entendi certo: Nesse eco camping você paga um valor e está tudo incluso? transfer, domo, alimentação e passeios?

    • Raquel Furtado respondeu Ariane 01/02/2015

      Isso mesmo! Tudo incluído! De primeira o valor parece alto (dá uma olhadinha no site) mas inclui tudo. Além do valor deles, é só comprar as passagens e ir! Você só pagará a mais se quiser fazer um stop em Santiago ou Puerto Natales (Punta Arenas não recomendo.. não tem muito o que fazer e chove a temporada toda praticamente).

      Em Torres não tem nada para gastar dinheiro além do que o EcoCamp já te fornece ;)

      Nós estamos montando essa viagem “personalizada” com o apoio da Greenwich Tours e do próprio Ecocamp! Se tiver interesse, manda email pra gente que te ajudamos em tudo! contato@vamospraonde.com

      Beijo!

      • Ariane respondeu Raquel Furtado 01/02/2015

        Obrigada Raquel! Entrarei em contato sim!

  9. Talita Cortez 21/12/2014

    Sensacional!!
    Adoro o Instagram de vcs, mas agora virei seguidora do blog tbm.

    Adicionando Torres del Paine na lista de destinos para as proximas ferias agora mesmo… rsrs

  10. Igor Saringer 18/12/2014

    Vocês podiam gravar vídeos, tipo vlogs, e por no YouTube. Seria legal, pensem nisso!

  11. Camilla Rezende 15/12/2014

    Solenemente
    Sensacional!! Mta vontade de ir!