Vamos Pra Onde?

/

Roteiro de verão na suíça

Suíça
um dia de verão na Suíça em Berna

Esse texto é fruto de um roteiro de verão na Suíça que montei para meus pais em 2021. Naquele contexto pós-pandemia, em que todo mundo precisava de umas férias de paz e sossego, eu quis organizar para eles um roteiro perfeito – e acho que consegui. Eles vieram me visitar na Suíça em agosto (alto verão). Tinham 20 dias, um orçamento confortável mas de forma alguma ilimitado, e queriam ver bastante do país. A última vez deles por aqui tinha sido no início de 2020 para um roteiro de inverno. Dessa vez, as dicas, os destinos e os passeios na Suíça seriam diferentes. De junho a setembro a Suíça oferece uma natureza única. Eu acho que um roteiro de verão ideal deve incluir montanhas, lagos e rios e pode ser feito de trem ou carro. Foi essa combinação que montei pra eles.

Verão na Suíça: MEU ROTEIRO COMPLETO

Como falei acima, montei um roteiro de 20 dias para meus pais (mas te dou dicas abaixo de roteiros menores tb). Incluí nesse roteiro 5 cantões bem diferentes entre si. A viagem ficou praticamente um tour pela Suíça :). Optamos por combinar alguns dias com carro (para otimizar algumas rotas) e outros com o excelente sistema de transporte público do país. Eles compraram o Swiss Travel Pass Flex de 15 dias. Tenho um post que explica em detalhes como funciona o Swiss Travel Pass – vale a pena ler!

Nesse texto você encontra:

  • Preciso de pelo menos quantos dias para curtir o verão na Suíça?
  • Quantas bases (hotéis) são recomendadas?
  • Como é o clima no verão na Suíça e o que levar na mala?
  • Destinos ideais para roteiros de verão na Suíça
  • Roteiro completo de verão na Suíça
  • Onde se hospedar (nossas escolhas e algumas outras sugestões)

Se você não tem 20 dias na Suíça, não se preocupe. Você pode usar esse roteiro de verão como base e adaptá-lo ao número de dias que lhe for mais conveniente. Vou deixar várias dicas e sugestões pra isso.

Preciso de pelo menos quantos dias na Suíça?

Se eu ganhasse CHF 1,00 cada vez se escutasse essa pergunta… rs! Bom, se você estiver fazendo uma viagem pela Europa e quiser dar uma passadinha rápida pela Suíça, por uns 2, 3 dias, fique à vontade 🙂 Mas garanto que você vai sair com gostinho de quero mais e vai acabar tendo que voltar!

De toda forma, se esse for o seu caso, escolha destinos que ofereça, de maneira fácil, exatamente o que você busca. Destinos em que passeios bate-e-volta te permitam ver e experimentar o que você quiser. Por exemplo:

Cantão Ticino
Clima mediterrâneo e combina lagosrios e vales muito bem.
Adoro Locarno, Ascona e Vale Maggia. Um carro é recomendado.

Riviera Suíça
(Montreux, Vevey…)
Combina vinhedos, lago e paisagens de tirar o fôlego.
Um carro também ajuda aqui.

Suíça Central
(Lucerna)
Reúne mirantes de montanha e lindos passeios de barco no lago.
Super fácil com o transporte público.
Região de
Interlaken

Reúne atividades mais radicais e muitas montanhas.
Inclui Lauterbrunnen, Grindelwald e o famoso Top of Europe.
Zurich
Tem uma vibe mais cidade,
mas também tem vários “beach clubs” ao longo do rio.
Pizol
Trilha incrível dos 5 lagos.
Pode ser combinada com Appenzell (de carro) que é cheia de charme.
Gruyere e
Murten

Têm um ar de cidade medieval que eu particularmente amo!
Murten está pertinho de Berna. Gruyere também, de carro.

Quantas bases fazer em um roteiro de verão na Suíça?

Para a viagem ser mais confortável, recomendo bases de pelo menos duas noites (o ideal são 3) em pontos estratégicos para passeios. Não costumo sugerir muita troca de hotel porque acho que a viagem fica um pouco cansativa. Em um roteiro de 20 dias pela Suíça, eu recomendo 6 bases. Em um roteiro de 10 dias, tente não passar de 5 trocas de hotel. Com exceção, claro, do caso de cabanas de montanhas ao longo de uma trilha – o que temos muito por aqui!

Clima durante o VERÃO NA SUÍÇA e o que levar na mala

Queria poder dizer que o verão na Suíça é sempre quentinho, com pouca chuva e que você só precisa trazer roupas leves na mala. Mas infelizmente não é sempre assim. Não me entenda mal, pode até ser – mas é melhor vir prevenido!

O verão na Suíça é quente (não é raro os termômetros marcarem 30 graus), mas também pode ser frio (12 graus à noite em Lucerna acontece até em agosto). Alguns dias são bem secos mas outros podem ter 24h de chuva. Aqui também acontece aquela chuvinha de verão que estamos acostumados no Brasil, mas não só. Tem vezes que a chuva vem com tudo mesmo e os dias ficam frios, cinzas e se parecem com àquele clima de fim de outono. Ou seja: é preciso fazer uma mala inteligente.

Se você vai fazer trilhas e/ou passeios de montanha, traga um corta-vento, uma capa de chuva (casaco impermeável) e uma jaqueta leve de pluma de ganso, por ex (estilo doudoune). Também recomendo um tênis/botinha de trilha se você tiver. Nos hikes de montanhas aqui temos muitas pedras, às vezes ainda neve/gelo e algumas descidas bem íngremes.

Em relação aos calçados: para o dia-a-dia, recomendo tênis confortável. Você vai bater bastante perna conhecendo as cidadezinhas e passeando. Dependendo da duração da viagem, vale trazer um tênis confortável mais arrumadinho (que vale pra dia e noite), um tênis de exercício (que vale pras caminhadas na natureza que sejam curtas e leves) e o tênis de trilha (se você for fazer) como falei acima. Tragam chinelo e rasteirinha (mulheres). Não recomendo salto alto.

Roupa de banho também vale a pena trazer. A água dos lagos aqui pode ficar com uma temperatura de 23 graus (que parece frio), mas no calor é uma delícia.

Para o dia-a-dia: roupas leves, mas vale trazer calça e casaquinhos também. Shorts, bermudas, vestidos serão seus maiores companheiros. E para dormir, pijamas leves também: muuuito raramente algum hotel aqui terá ar condicionado.

DESTINOS PARA UM ROTEIRO DE Verão na suíça

Montei um roteiro composto por 5 partes. Elas devem ser feitas em sequência pela logística de deslocamento no país. Existem vários outros cantões e/ou cidades legais que eu poderia ter incluído aqui, como os cantões Jura, Graubünden e o Valais. A Suíça é um país super pequeno mas tão completo que precisamos mesmo de muitos dias para conhecer tudo. Eu prefiro um estilo mais “slow travel” então costumo montar roteiros sem muita correria. Sei que 20 dias no país é muito tempo, mas acho que essas 5 partes são suficientes e perfeitas para uma viagem bem confortável.

Os destinos que escolhi são esses:

  • Cantão Vaud, para conhecer a Riviera Suíça (Lavaux, Vevey, Montreux)
  • Os cantões Berna e Friburgo (incluindo Berna, Gruyere, Murten, o lago Oeschinensee e Iseltwald)
  • Os cantões Lucerna e Nidwald (vários bate-e-voltas desde a cidade de Lucerna, como Rigi e Stans)
  • O cantão Ticino (Locarno, Ascona, Vale Maggia, Lugano, bate-e-volta a Morcote)
  • Os cantões Appenzell e St Gallen (de carro, dá pra ir de Appenzell ao Pizol e fazer a trilha dos 5 lagos)

A diversidade da natureza, da gastronomia, dos atrativos e da arquitetura na Suíça é bem grande. A Riviera Montreux, por exemplo, está na parte francesa e é repleta de vinhedos. Gruyére e Murten são cidades medievais que, apesar de também estarem na parte francesa, são completamente diferentes da Riviera. Ticino é a parte italiana da Suíça e essa influência é extremamente notável. O cantão é repleto de vales, cidadezinhas antigas, ruas estreitas, rios e restaurantes tipicamente italianos. Lucerna já está na parte alemã e tem uma arquitetura bem diferente dos outros destinos que já mencionei aqui. O lago e a vista dos Alpes fazem da cidade uma das mais charmosas da Suíça.

No mapa abaixo, você vê os principais destinos que fazem parte desse roteiro.

ROTEIRO COMPLETO DE VERÃO NA SUÍÇA

Nosso roteiro começa em Vaud, na Riviera Montreux. Meus pais vieram de Swiss, então chegaram por Zurich. Para descer direto para Montreux, o ideal é alugar um carro (2h15m de viagem). Recomendo a Europcar, achamos os valores melhores que da Sixt. O trajeto também pode ser feito de trem, mas a viagem dura em torno de 3 horas e tem algumas baldeações (o que pode ser um pouco chato com as malas). Caso você opte pela viagem de transporte público, considere se hospedar em Lausanne (trem direto desde Zurich) ou Vevey (apenas uma baldeação). Lausanne está a apenas 13 minutinhos de trem de Vevey, que está a 10 de trem de Montreux..

Para pesquisar linhas de trem, ônibus e horários, use o site da SBB. Através dele você também pode comprar as passagens. Super recomendo que baixem o app no celular (é só buscar por SBB Mobile). Mesmo que você use o Swiss Travel Pass, vale a pena baixar o app para conferir os

Parte 01. Riviera Suíça (Montreux, Vevey, Lavaux)Pelo menos 3 noites

Montreux, Vevey e Lavaux fazem parte da Riviera Suíça localizada na parte francesa do país. Elas estão localizadas às margens do Lac Léman (também chamado de lago Genebra). Esse é o maior lago da Suíça, e é compartilhado com a França.

Montreux

Uma ideia é caminhar ou pedalar pelo lago até o Chateau de Chillon (com o Swiss Travel Pass, você visita o castelo de graça). Do centro da cidade são apenas 35 minutos (2,7km) até lá. Há também um ponto de ônibus em frente ao castelo (parada: Veytaux, Château de Chillon). Na volta ao centrinho, visite o Queen Experience, um museu gratuito que fica dentro do Casino de Montreux. Ele é bem interativo e super interessante para os fãs da banda. No calçadão de Montreux, você também verá uma estátua do Freddie Mercury. Caminhe também pelas ruazinhas do centro histórico da cidade. Se quiser fazer um passeio para jantar, pode ir no restaurante Auberge de Chaulin (pratos em torno de CHF40). Ele está localizado em Chamby. No centrinho da cidade tem a La Brasserie J5 e o Montreux Jazz Cafe.

VEVEY

Vevey está a apenas 10 minutinhos de Montreux. Passeie tranquilo pela cidadezinha, ela é um charme. Uma dica legal de restaurante é o Ze Fork. Um museu legal é a Casa do Charlie Chaplin: a casa em que ele morava foi transformada em um museu dedicado a sua vida e trabalho. Vale super a pena visitar. Uma ideia é passar por Vevey voltando de Lavaux para Montreux.

LAVAUX

Em Lavaux, a paisagem dos vinhedos com o Lago Léman no fundo vai te deixar doido. Vale a pena fazer uma caminhada pelas vinícolas para curtir o visual. Existem várias trilhas e opções. Eu recomendo chegar de trem em Chebres e descer a pé pelo Chemin de la Plantaz até Rivaz. A vila é super charmosa e tem uma praia de água cristalina (Plage du Rivaz). De Rivaz, vá para a vila Saint-Saphorin (considerada uma das vilas mais lindas da Suíça). Você pode fazer vários caminhos até lá mas eu recomendo o Chemin des Fosses porque garante vistas melhores. Caminhe com calma e aproveite as vilas que são muito lindinhas. Depois, vá de transporte público para Vevey. Caso não queria caminhar, vá a Chebres para aproveitar um aperitivo no Le Deck. A vista é deslumbrante. O Le Deck também abre para almoço, mas infelizmente não fazia reserva. Quando fui, não consegui almoçar, apenas beber alguma coisa e beliscar uns queijinhos. Vale a pena mesmo assim!

Parte 02. Gruyere, Murten, Berna – 3 noites

GRUYERE

Se você estiver de carro subindo para Berna, vale a pena passar por Gruyère (uma cidade medieval muito charmosa) e dar uma voltinha por lá. Não deixe de visitar o Château de Gruyères. Sem carro, o ideal é fazer uma pernoite (pelo menos) na cidade para não ficar cansativo. O único porém ao usar o transporte público é que a estação de trem não é perto do centrinho.

MURTEN

Berna

Berna é uma das cidades mais lindas da Suíça na minha opinião. Não deixe de dar um mergulho no Rio Aare enquanto caminha pelo Marzili. Vale muito a pena também subir até o Gurten. Gurten é uma montanha pertinho do centro histórico. Você pode subir a pé ou de bondinho. Lá em cima tem restaurantes, parquinho pras crianças e um gramado enorme pra você fazer um piquenique ou relaxar. E claro, a vista é linda! Um passeio bate-e-volta legal é ir a Murten, uma cidadezinha medieval. Vale um passeio pelo centrinho, pelas muralhas e pelo lago.

Parte 03. Lucerna (e vários passeios bate-e-volta) – 3 noites

LUCERNA

Lucerna é um destino super estratégico na Suíça (além de lindo!) porque é muito central. Vários passeios incríveis a lagos e montanhas podem ser feitos a partir daí. Eu recomendo pelo menos 3 noites mas confesso que acho 3 até pouco para o verão. Isso porque a própria cidade tem muito a oferecer nos dias mais quentes. Lucerna tem praia (de lago, claro), tem beachclubs, tem locais pra caminhadas super gostosas, tem cafés e restaurantes que merecem uma visita, e por aí vai.

Rotsee: Rotsee é um lago menos conhecido em Lucerna, mas lindíssimo. Ele é pequeno e está cercado por muita vegetação. A temperatura da água é um pouco mais alta que a do lago Vierwaldstättersee (também chamado de lago Lucerna) então muitos residentes preferem ir até lá para um mergulho. A única área do lago em que o nado é permitido, entretanto, é no Badi (entrada paga, CHF6). Na imagem abaixo você vê o seu tamanho comparado ao Vierwaldstättersee. A caminhada em torno do Rotsee é uma delícia e o gramado entre ele e o Ruderzentrum é perfeito para um piquenique ou para tomar um solzinho. As paradas de ônibus mais perto do gramado são Maihofmatte Rotsee e Maihof, as linhas 1 e 30 passam pelas duas. E a parada mais perto do Badi é a Ebikon, Falken (também linhas 1 e 30). São 10 minutinhos de ônibus desde a estação.

BANNALPSEE

Se você tiver tempo para um bate-e-volta e gostar de lagos alpinos, recomendo muito um passeio ao Bannalpsee. Ele não é mega turístico então costuma ficar mais vazio. O acesso é por um pequeno teleférico (infelizmente o Swiss Travel Pass não é aceito. Ida e volta são CHF 21). O lago está localizado no vilarejo de Oberrickenbach. O acesso é super fácil de carro (25 minutinhos) ou transporte público (pegue o trem até Wolfenschiessen e depois um ônibus até OberrickenbachTalstat). O ônibus te deixa na base do teleférico, onde também há um estacionamento gratuito. Dois teleféricos te levam ao lago e estão localizados bem pertinho um do outro: o Chrüzhütte e o Fellboden. Eu recomendo o primeiro: ele te deixa em um ponto um pouco mais alto que o lago. Você fará uma pequena caminhada de 15 – 20 minutinhos (descida) até lá, mas terá uma vista muito linda! O Fellboden te deixa um pouquinho abaixo do lago, uns 3 minutinhos ou nem isso. Você pode subir por um e descer por outro. La em cima há um restaurante (a comida não tem nada de mega especial, mas é gostoso parar ali e beliscar ou tomar alguma coisa). Caso você vá de ônibus, se atente aos horários de volta!! A vila é bem pequena e o ônibus não passa nesse ponto com muita frequência.

ISELTWALD

Um bate-e-volta delicioso pra quem está de carro (se você está de transporte público, talvez seja mais prático ir até Interlaken ou Brienz de trem e pegar o barco até Iseltwald). De carro, a viagem dura uma hora, de transporte público, em torno de duas. Iseltwald é uma micro vila super charmosa no lago Brienz. A cor da água é impressionante e o visual da península de Iseltwald com o antigo castelo e os Alpes no fundo é simplesmente inexplicável. Minha dica é fazer a caminhada (trilha leve, em torno de 1h) pela margem do lago até a Giessbach Falls (que ficam pertinho do hotel Giessbach) e ali pegar o barco de volta. Se você tiver ido de transporte público, pode pegar o barco direto a Brienz e ali pegar o trem pra Lucerna.

Rigi, Stanserhorn, Pilatus e Titlis são montanhas que garantem vistas lindas e podem ser visitadas a partir de Lucerna. Com exceção da Pilatus, todas estão localizadas em outras cidades, mas são facilmente acessadas por transporte público. As minhas preferidas são Rigi e Stanserhorn. Em Stans, aproveite para almoçar na varanda do Culinarium Alpinum (que também é hotel). Titlis tem neve o ano todo e Pilatus é super pertinho do centro de Lucerna, acesso super fácil.

stansehorn na Suíça
Vista de Stanserhorn

Stos e Fronalpstock: vale muito a pena em um dia lindo de céu limpo. O passeio é a partir de Schwyz (uma cidade às margens do lago Lucerna). De lá, você sobe no funicular mais inclinado do mundo até Stos (um vilarejo de montanha) e depois pega o teleférico até o topo da montanha Fronalpstock (vista UAU do lago Lucerna). Quem quiser caminhar, pode fazer uma trilha de 2h-2h30 lá em cima. Nesse caso, você deve pegar o teleférico até o topo de Klingestock. De lá, você caminha até a Fronalpstock, de onde sai o teleférico de volta pra Stos. O caminho tem subidas e descidas mas nada muito pesado.

Parte 04. Ticino (Locarno, Ascona, Vale Maggia, Lugano) – pelo menos 3 noites

Eu amo Ticino e por isso separei 5 noites aqui nesse roteiro de verão. Para meus pais, dividi em 2 noites em Locarno, 1 no Vale Maggia e 2 em Lugano. Seria ideal ficar duas noites no Vale, mas esse pequeno ajuste atrapalharia o restante da viagem no nosso caso (disponibilidade de hotéis, data de aluguel de carro, etc).

Super recomendo um carro para a região. Fica bem mais fácil explorar os vales, ir almoçar nas Grottos e dar algumas voltinhas pelas vilas. O transporte público funciona super bem, claro, mas te faz gastar bem mais tempo.

VALLE MAGGIA

O Vale Maggia é lindo demais e tem cachoeiras incríveis pra serem visitadas. A cascata del salto é a minha preferida (dá pra mergulhar num dia bem quente). A Cascata grande de Bignasco e a cascata di Foroglio também merecem uma visita. Dá pra fazer uma trilha longa de Foroglio a Calnegia. Uma dica ótima pra almoço ou jantar nessa parte mais alta do vale é a Grotto Pozzasc.

A subida para o Vale é a partir de Locarno, uma cidade super charmosa também. Amo o centrinho com os restaurantes, parece uma viagem pela Itália mesmo. Um restaurante legal ali na região é o Da Enzo (ele fecha às quartas-feiras).

Parte 05. Appenzell – pelo menos 2 noites

Appenzell é uma vila super pequena mas lindinha de mais. A cidade é base para trilhas lindas na Suíça (principalmente para lagos alpinos). É ali pertinho de Appenzell que também está o famoso restaurante e Gasthaus Aescher, aquela casinha mega charmosa “encravada” nas montanhas.

Aescher Gasthaus

Appenzell está localizada no cantão de mesmo nome. Ele é muito especial porque parece que parou no tempo, sabe? Appenzell é mais tradicional, mantém costumes antigos (acredite se quiser mas a eleição para um novo governo ainda é feita por meio de um plebiscito em praça pública!) e paisagens bem bucólicas e tipicamente suíças (campos verdes, vaquinhas com seus sininhos, lagos alpinos e montanhas com picos nevados). É uma região mais rústica também (você vai perceber pelos hotéis), mas eu amo viajar por ali.

WASSERAUEN – EBENALP – SEEALPSEE (com parada no Aescher)

Um dos passeios mais lindos da região. De Appenzell, pegue o trem por 11 minutinhos até Wasserauen (ou vá de carro, tem estacionamento) e depois o teleférico até Ebenalp (o Swiss Travel Pass te dia 50% de desconto). Lá de cima, faça uma caminhadinha de 15 minutos até o Aescher (a cabana/ restaurante da foto acima). Pare ali para tomar alguma coisa e curtir o visual do vale. Lindo demais!!! Se você animar (e eu acho que deve!!!) siga por 1h30 a trilha para o Seealpsee (é uma descida com degraus e pedras soltas, às vezes escorregadio – há um “corrimão” para segurança em alguns trechos). Chegando lá, siga a placa SEERUNWEG para dar uma volta no lago (30-40 minutos). Daí, você não pega mais o teleférico, mas desce até Wasserauen a pé (uns 40 minutos com cuidado, trilha bem inclinada). Dá pra fazer o caminho oposto também: subir até o lago, subir mais até o Aescher e descer de teleférico. Depende do seu pique (a subida é puxada), rs!

LAGO FÄLENSEE

Outra trilha linda de lago alpino. Se você estiver de carro, dirija até Frümsen e suba com o teleférico Staubern. Com calma, em umas 2 horas você chegará no lago. A trilha é bem plana até a descida final que é intensa! Se prepare que na volta você deverá subi-la, rs! Vale a pena! Existem várias maneiras de se chegar ao Fälensee, mas essa é a mais bonita. Dá pra fazê-la de trem + ônibus também, mas a logística à partir de Appenzell não é das melhores. O trajeto que de carro leva 40 minutinhos, levará quase 2 horas. Você precisará pegar o transporte público em Appenzell com destino a Frümsen (a parada é Frümsen, Luftswilbahn Staubern). Serão necessárias 3 baldeações. O trem dá uma mega volta, mas ainda assim acho que vale a pena.

O jeito mais fácil (e com trilha menos bonita, hehe) para quem está sem carro é pegar o trem para Weissbad (4 minutinhos) e lá o Postbus (ônibus amarelinho) para Brülisau, Kastenbahn (mais uns 7 minutos). É nesse local que você pega o teleférico para Hoher Kasten. Para chegar até o lago, você deve caminhar em torno de 1h30.

Dá pra chegar no lago também fazendo uma trilha desde o Seealpsee.

Trilha dos 5 lagos no Pizol

Chegar ao Pizol de transporte público desde Appenzell também não é muito prático, então recomendo essa opção para quem está de carro.

APPENZELL

E claro, também vale dar uma voltinha por Appenzell e observar a arquitetura (prédios coloridos e super charmosos). Uma dica de restaurante é o Sonne. Como falei, tudo por ali é mais simples e tradicional, mas a comida é bem gostosa!

ONDE SE HOSPEDAR

Para meus pais, escolhi os primeiros hotéis de cada lista. Vários fatores influenciaram a decisão: preço, disponibilidade, localização, banheiro (a gente sempre prefere com chuveiro ao invés de banheira) e estilo (preferimos algo mais moderno, mas sem perder a autenticidade do local). Incluo também outras opções que gostamos (às vezes até mais que aqueles que reservamos) mas não conseguimos vagas ou achamos a diária alta para os dias que precisávamos (o preço de muitos sobe bastante em agosto e nos finais de semana):

Riviera Suíça:

  • Eurotel Montreux: super moderno, quartos ótimos com chuveiro. Não exatamente no centrinho de Montreux mas boa localização. É um prédio alto, o que o deixa meio sem charme.
  • Ermitage Montreux: é um boutique hotel, apenas 7 quartos. A gente ia escolher aqueles sem carpete.

Ticino:

  • Hotel Lugano Dante: bem moderno e com estilo mais jovem; quartos seguem uma linha business; localização ótima em Lugano.

Opções super especiais (e ótimas para o verão na Suíça):

  • Relais Castelo di Morcote: queríamos muito esse hotel, mas infelizmente não tinham vaga. Ele está localizado em Morcote (fotos abaixo).
  • Castello del Sole: um 5 estrelas incrível em Ascona. Esse o orçamento não permitiu, rs! A noite gira em torno de CHF 500 para o casal. Mas seria um sonho!

Lucerna:

Berna:

  • Hotel The Bristol: ótima localização, moderno, ótimo custo benefício. Nessas datas, ele oferecia a promoção e 3 noites pelo preço de 2.
  • Hotel Schweizerhof Bern: ótima localização, 5 estrelas, clássico, ótimo! Também tinha essa oferta de 3 noites por 2, mas o preço do The Bristol estava tão atraente que acabamos deixamos o Schweizerhof pra uma próxima. Mas ele é bem melhor que o The Bristol, rs!
  • Hotel Zollhaus: esse é um hotel que eu e Marc sempre quisemos conhecer. Ele é super diferente: é um hotel de uma suíte só, rs! A suíte tem dois andares e acomoda até 4 pessoas (com um sofá cama). O café da manhã é servido no quarto.

Appenzell:

  • Hotel Appenzell: simples, como todos da vila, mas super honesto e preço justo.
Como ir da Riviera Montreux para Ticino

Um roteiro de verão na Suíça de 20 dias pode incluir essas 2 regiões que eu amo: TICINO (parte italiana do país) e a RIVIERA SUÍÇA (parte francesa). O problema de uni-las em um roteiro mais curto é o deslocamento. Existe uma cadeia de montanhas (os Alpes!) que dificulta o trajeto direto de Montreux para Lugano, por exemplo. De transporte público, é necessário dar uma volta lá por Zurich para ir de um destino ao outro. De carro, a viagem pode durar 5 horas.

Mapa mostrando o deslocamento de trem ou carro entre Montreux e Lugano

Deixe o seu comentário

Post Anterior
Gruyères
Próximo Post
Murten